Um grupo de cientistas chineses conseguiu desenvolver uma espécie de fio de gelo extremamente fino e flexível, que pode ser curvado e até mesmo dobrado. O invento é descrito pelos pesquisadores como microfibras elásticas de gelo, que, ao invés de quebradiças, como as que nós fazemos nas bandejinhas da nossa geladeira, se dobram como um arame.

Para criar esse gelo flexível, os pesquisadores transferiram vapor d’água para uma pequena câmara que, em seguida, foi resfriada com nitrogênio líquido. Depois disso, um pino de tungstênio eletrificado a 2.000 volts é colocado dentro dessa câmara. Isso atrai o vapor d’água e lentamente forma as microfibras de gelo.

publicidade

O passo seguinte é flutuar a temperatura da câmara entre -57°C e -238°C, o que faz com que as microfibras se tornem incrivelmente flexíveis em baixas temperaturas. Diferente do gelo caseiro, que serve basicamente para gelar bebidas ou fazer uma bolsinha para relaxar uma dor muscular, o gelo flexível pode ter usos práticos mais interessantes.

Possíveis aplicações

De acordo com a equipe, o gelo flexível pode ser usado para desenvolver sensores para detecção de poluição, já que partículas como a fuligem podem grudar no gelo. Isso permite, por exemplo, que pesquisadores estudem como a luz se move através da microfibra para reunir informações sobre a quantidade e o tipo de poluição de uma determinada área.

Leia mais:

Os pesquisadores defendem que a descoberta abre oportunidades para a exploração física do gelo e a tecnologia relacionada a ele em escalas micro e nanométricas. Porém, mesmo que não haja uma aplicação prática e direta para a descoberta, ainda é algo muito interessante do ponto de vista científico, que mostra o quão longe já podemos e poderemos chegar em um futuro próximo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!