Sabe quando você está exausto e não vê a hora de dormir? Ou quando cai em sono profundo e acorda como se não tivesse dormido? São exemplos de sono desregulado que podem ser explicados pelo córtex cerebral. Em artigo publicado na Nature Neurosciense, pesquisadores da Universidade de Oxford descobriram que os processos dentro do córtex podem ser responsáveis pelo controle do sono, em todas as suas fases. 

O córtex ocupa 80% do volume cerebral e é o responsável por vários fenômenos, como percepção, pensamento, linguagem, atenção e memória.

publicidade

Entenda o novo estudo sobre o controle do sono 

Apesar de outros experimentos já terem citado a influência do córtex no sono, essa é a primeira vez que os pesquisadores conseguem chegar a uma conclusão bem embasada sobre o equilíbrio do sono. 

Para isso, os cientistas monitoraram a atividade cerebral em ratos de laboratório, que contam com semelhanças neurológicas com os seres humanos tanto em anatomia quanto mecanismos de sono. 

Ao desligar os neurônios em duas áreas do córtex na camada neocortical 5 e uma parte do hipocampo dos camundongos, os pesquisadores perceberam que os ratos ficavam acordados por menos três horas a mais todos os dias. 

Tendo como perspectiva uma expectativa de vida de dois anos referente aos ratos de laboratório, o experimento revelou que eles ‘ganharam’ três meses de tempo acordados ao longo da existência. Em termos humanos, a porcentagem equivaleria a dez anos. 

Mesmo acordados por mais tempo, esses ratos não precisaram de sono profundo para compensar as horas a menos de descanso, ou seja, o relógio biológico não foi afetado. 

Leia mais:

Novos rumos para terapias no tratamento do distúrbio do sono

Com a descoberta, os pesquisadores esperam criar novas técnicas de estimulação cerebral não invasivas para alterar a atividade cortical, com foco na moderação do sono para fins terapêuticos, como para tratamento de pacientes que sofrem com distúrbios do sono.  

“Nossa descoberta de que o córtex é parte do sistema regulador do sono abre novas perspectivas para a medicina do sono, “, disse Dr. Lukas Krone, do Departamento de Fisiologia, Anatomia e Genética da Universidade de Oxford, e principal autor do estudo. 

Confirmação que também recebe a aprovação do professor Vladyslav Vyazovskiy, chefe do Laboratório de Sono, Cérebro e Comportamento do Departamento de Fisiologia, Anatomia e Genética e co-autor do artigo. 

“O córtex é uma estrutura altamente complexa, tanto anatomicamente quanto funcionalmente e, portanto, difícil de estudar; e é por isso que pensamos que seu papel no controle do sono foi previamente esquecido. Os efeitos do silenciamento cortical sobre o sono oferecem uma perspectiva nova e renovada sobre os mecanismos de controle do sono , e tem forte potencial para transformar o campo da neurobiologia do sono. ”

mulher com dificuldade de dormir
Nova descoberta pode influenciar em terapias com melhores resultados para combater os distúrbios do sono, problema bem comum no mundo. Imagem: New Africa / Shuterstock

Apesar de ser um passo importante para o desenvolvimento de novas terapias para regular o sono de quem dorme mal, há ainda muitos passos a serem percorridos no campo científico, como explica Dr. Krone:  

“Esperamos que muitos outros grupos de pesquisa investiguem agora como exatamente o córtex contribui para as regulações do sono, necessitando de uma abordagem multidisciplinar para entendermos completamente os mecanismos celulares e circuitos neuronais através dos quais o córtex regula o sono”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!