Algumas plataformas de streaming de música já adotaram o chamado ‘Lossless Audio‘, um formato de arquivo compactado sem perdas de qualidade. Embora a novidade funcione muito bem no papel, alguns usuários podem se confundir ou encontrar alguns obstáculos no caminho para conseguir aproveitar esse recurso ao máximo.

O que é o áudio sem perdas (lossless)?

De início, vale destacar um fato importante: a maior parte das músicas digitais disponíveis na internet são codificadas em dois formatos, o AAC (Advanced Audio Coding) e o saudoso MP3, lançado em 1993.

Algumas vantagens desses arquivos são a economia de espaço e o uso de menos largura de banda durante o streaming. Contudo, dependendo do tipo de compressão (principalmente no caso do MP3) a qualidade final pode ficar bem abaixo da média.

Em contrapartida, a compactação sem perdas (ou lossless), favorece justamente a qualidade e não se preocupa tanto com o tamanho final de um arquivo. Como nenhum dado é “descartado” no processo, no final as frequências não sofrem os mesmos “danos” que um arquivo MP3.

publicidade

Também conhecido como áudio de alta resolução, o ‘Lossless Audio‘ ainda consegue atingir a mesma qualidade vista em um estúdio de gravação. Enquanto os CDs usam uma taxa de amostragem de 44,1 kHz a 16 bits, serviços que já suportam o áudio sem perdas, como o Apple Music e o Deezer, alcançam até 192 kHz a 24 bits.

Onde encontrar esse formato de áudio? Atualmente, o jeito mais fácil de encontrar o áudio sem perdas são nos serviços de streaming. Assinando um dos planos Hi-Fi (que sai por RS 26,90 mensais no caso do Deezer), o usuário pode aproveitar o formato tanto online como baixando as faixas para ouvir offline.

O Spotify, por sua vez, anunciou no início do ano que traria a transmissão de áudio lossless para a sua plataforma. Contudo, até o momento isso não aconteceu. O que se sabe, é que empresa promete implementar a novidade até o final de 2021.

Do que você precisa para ouvir esse formato de áudio?

Teoricamente, você só precisa do seu smartphone e de um bom fone de ouvido para experimentar esse formato de áudio. Contudo, vale um adendo: nenhum fone de ouvido sem fio atual pode transmitir o áudio lossless de um celular para os seus ouvidos, já que os codecs de áudio sem fio ainda dependem de muita compactação para funcionar.

A boa notícia é que isso pode ser corrigido de forma relativamente simples, mudando para fones de ouvido com fio.

Agora, se a ideia é atingir a qualidade máxima de estúdio (192kHz / 24 bits), você precisará de um DAC (Conversor digital-analógico) externo. Muitos deles também incluem um amplificador de fones de ouvido embutido, outro recurso que pode ajudar a aprimorar a qualidade de áudio.

Fones de ouvido em uma mesa conectada a um DAC
Um DAC portátil funciona como uma placa de som. O objetivo principal é a conversão do áudio digital em áudio analógico para ser escutado em um fone de ouvido. Na prática, o gadget incrementa o som produzido por um dispositivo. Imagem: Shutterstock/Reprodução

Também existem reprodutores de áudio portáteis com DACs integrados que podem reproduzir uma ampla gama de formatos de áudio de alta qualidade. Um exemplo é o walkman NW-A55 da Sony.

Leia mais:

Quais são as desvantagens do áudio lossless?

A maior desvantagem é o espaço ocupado em disco e a largura de banda adicional que será preciso para transmitir músicas nesse formato (cerca de quatro vezes maior que um arquivo MP3 de alta qualidade).

Considerando que muitos usuários ainda não usam a transmissão de alta qualidade em seus serviços de streaming, especialmente com os dados móveis ativados, o áudio lossless ainda pode demorar para vingar.

Se você também gosta de armazenar as músicas direto em seu dispositivo para ouvir offline, a chance de não conseguir salvar todas ou álbuns inteiros é grande por conta da demanda de mais espaço interno.

Por fim, sem investir em um DAC externo, você provavelmente também não aproveitará todos os benefícios do streaming com qualidade de estúdio e ainda terá que abandonar os fones sem fio em favor de um modelo com fio.

Depois há o custo, além de ter que comprar um DAC e um bom fone de ouvido, muitos serviços vão cobrar mais caro pelo acesso ao streaming sem perdas. O Apple Music ainda é a exceção, já o TIDAL , Deezer , Qobuz e Amazon Music cobram uma taxa adicional ou oferecem um plano específico para usar o recurso.

Dá para ouvir a diferença?

Há um debate fervoroso sobre isso. A maioria das pessoas conseguirá ouvir a diferença entre um arquivo MP3 de 128 kbps de baixa qualidade e um de 320 kbps, mas e quanto à diferença entre esse MP3 de 320 kbps e um arquivo lossless da mesma música?

Quem ditará a resposta são os seus dispositivos de áudio. Se já tiver investido em equipamentos para desfrutar de áudio em sua mais alta qualidade, o streaming sem perdas será a “cereja do bolo”.

No entanto, se você estiver usando fones de ouvido baratos ou ouvindo o som diretamente de um conector de áudio do seu computador, os benefícios podem não transparecer. Nesse caso, seria melhor pesquisar sobre fones de ouvido e um amplificador ou DAC antes de assinar um plano mais caro no seu serviço de streaming favorito.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!