De acordo com o site Minha Operadora, a Justiça de São Paulo condenou a Vivo e o Facebook a indenizarem uma cliente que teve sua linha telefônica clonada, com subsequente uso para golpe via Whatsapp. O cibercriminoso agiu como é de praxe neste tipo de golpe, com pedido de dinheiro para amigos e parentes da vítima.

Golpe de Dia das Mães no WhatsApp
Operadora é responsabilizada por falha em sistema, que teria permitido golpe via Whatsapp. Facebook, dono do app de mensagem, também foi condenado. Imagem: Pixabay Montagem Olhar Digital

A cliente, que não foi identificada, alegou que a fraude ocorreu em razão de falha no sistema da operadora, que permitiu a reprodução de sua conta de Whatsapp ao não protegê-la da clonagem do chip de sua linha de celular.

publicidade

Para a juíza Luciana Antoni Pagano, da 1ª vara do Juizado Especial Cível de Vergueiro, em São Paulo, é cabível restituição do dano material, além de indenização por danos morais, como forma de desestimular a repetição da conduta da empresa. 

“Merece acolhida a versão apresentada na inicial, corroborada pelos documentos acostados aos autos. Também merece ser acolhido o pedido de indenização por danos morais, tendo em vista que ser vítima de fraude (cometida por terceiro que se passou por sua pessoa no WhatsApp e solicitou dinheiro para sua lista de contatos) nitidamente configura muito mais do que mero aborrecimento ou transtorno cotidiano, atingindo a esfera da personalidade”, disse a juíza na decisão, determinando o pagamento de um total de R$6.344 (sendo R$3.344 por danos materiais e R$3 mil por danos morais). 

Leia mais:

Tribunal de Justiça de São Paulo alerta sobre golpes no Whatsapp

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) também se manifestou via nota pública, por meio da qual faz um alerta sobre o aumento no número de casos desse tipo de crime virtual.

A Assessoria Policial Civil do TJ-SP listou algumas recomendações de segurança, como ocultar a foto de perfil no WhatsApp e outros aplicativos de mensagem, deixando visível apenas para os contatos salvos. Outra orientação do órgão nesse sentido é manter a dupla autenticação ativa e sempre desconfiar de mensagens suspeitas recebidas. Sempre que possível, é recomendável ligar ou fazer chamada de vídeo com o emissor da mensagem para confirmar a veracidade.

“Cuidado com pedidos de dinheiro e fornecimento de códigos enviados pelo WhatsApp. Os golpistas usam dados online e foto para criar um perfil fraudulento do mensageiro. Desconfie sempre de mensagem que comece assim: ‘troquei meu celular’, orienta o TJ-SP.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!