Pelo menos 22 casos suspeitos da Doença de Haff, conhecida como “doença da urina preta”, são investigados no Amazonas e na Bahia. Dos 16 casos notificados no AM, 12 são em adultos e quatro em crianças; dez deles estão vinculados a quatro famílias.

A maior concentração para ser na cidade amazonense de Itacoatira, que sozinha é responsável por 16 casos suspeitos. A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas deve enviar nesta quinta-feira (26) uma equipe de técnicos ao município.

publicidade

“Doença da urina preta”

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença da urina preta é causada por uma toxina presente em alguns tipos de peixes quando o armazenamento destes ocorre de maneira incorreta. O escurecimento da urina é causado pela rabdomiólise, que rompe o tecido muscular e libera a substância tóxica no sangue.

Os pacientes com sintomas da “doença da urina preta” começaram a chegar no hospital no último domingo (22) e nos dias subsequentes mais pessoas deram entrada na unidade hospitalar.

Leia mais:

Segundo o Ministério da Saúde, os principais sintomas da Doença de Haff incluem náuseas, fraqueza nas pernas e tontura. A condição pode causar insuficiência renal que, se não tratada, pode levar ao óbito.

Até o momento não há nenhuma recomendação para evitar o consumo de peixe na região, já que os casos da “doença da urina preta” ainda são investigados. A espécie que teria causado a condição também é incerta.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!