Além da vergonha transmitida ao vivo, quando seu Foguete 3.3, também chamado de Veículo de Lançamento 0006, foi disparado “de ladinho” no complexo do porto espacial do Pacífico, em Kodiak, no Alasca, a startup espacial Astra está sofrendo consequências econômicas.

Depois do lançamento desastroso do Foguete 3.3 no último sábado (28), ações da Astra sofrem queda nesta segunda-feira (30). Imagem: Lijphoto – Shutterstock

Segundo a CNBC, as ações da empresa caíram acentuadamente nesta segunda-feira (30), registrando até 22% de diferença nas negociações em relação ao fechamento anterior, de US$11,67 (R$60,51, na cotação de hoje).

Relembre o incidente com o Foguete 3.3 da Astra

No último sábado (28), o primeiro lançamento de um foguete da Astra acabou de forma frustrante. O primeiro motor falhou um segundo após a ignição, fazendo com que o veículo deslizasse de lado a alguns metros do solo.

De maneira proposital, a equipe de segurança do voo paralisou os motores com apenas 2 minutos e 28 segundos de voo, após constatar que um pedaço do foguete pareceu quebrar.

publicidade

Antes de voltar à Terra, o foguete chegou a alcançar uma altitude de quase 50 km, metade do caminho até a linha de Kármán, considerada o limite entre a atmosfera e o espaço exterior. 

Leia mais:

O lançamento deveria ter acontecido na véspera, mas o evento foi adiado por causa de um problema de configuração do motor.

Em entrevista ao canal CNBC, Chris Kemp, CEO da Astra, minimizou os problemas e demonstrou otimismo. “Obviamente não houve sucesso em colocar nada em órbita, mas foi um voo em que aprendemos muito”.

Em sua conta no Twitter, o CEO da companhia publicou um vídeo com o momento em que o foguete se move de lado. Para ele, a tentativa contribuiu para uma “quantidade enorme de dados” que serão revisados. Kemp ainda acrescentou que a Astra planeja usar o que aprendeu e aplicar ao foguete LV0007, atualmente em produção.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!