Dezenas de moradores do estado norte-americano do Colorado relataram ter visto uma imensa bola de fogo cruzando o céu na manhã do último domingo (3). Diversas câmeras na capital Denver captaram o meteoro, que foi registrado também no Novo México.

De acordo com a American Meteor Society (AMS – Sociedade Americana de Meteoros, em tradução livre), foram mais de 40 relatos do meteoro em três estados, que surgiu por volta das 5h30 EDT (6h30, pelo horário de Brasília). Um residente da cidade de Evergreen, também no Colorado, relatou à emissora CBS que o flash era tão forte que carregou suas luzes movidas a energia solar

publicidade

Além de imagens feitas por câmeras residenciais, o observatório astronômico robótico Cloudbait, localizado nas Montanhas Rochosas, capturou o sinal em suas câmeras.

Pedaços de meteoros não podem ser tocados sem proteção

De acordo com o site Space, as bolas de fogo são meteoros um pouco maiores que atingem a atmosfera da Terra em alta velocidade e se incendeiam no caminho. Algumas vezes, pedaços de um meteoro podem chegar ao solo – o que chamamos de meteoritos.

No entanto, dessa vez, ninguém relatou meteoritos provenientes desse meteoro (pelo menos, por enquanto). Os cientistas locais estão de olho e pedindo ao público para relatar qualquer coisa que encontrarem. 

Segundo a Nasa, não é recomendável tocar em nada que seja suspeito de ser um meteorito com as mãos desprotegidas. Essa medida serve para não contaminar o objeto, pois óleos e micróbios na pele humana podem degradar as rochas espaciais.

Leia mais:

“Se algo for encontrado ou não, resta saber, mas há uma boa chance de que haja pelo menos alguns quilos de material no solo”, declarou à CBS Chris Peterson, pesquisador associado do Denver Museum of Nature que também trabalha no Cloudbait.

Peterson estimou que a bola de fogo se quebrou a cerca de 16 km a 32 km acima do solo, uma altitude relativamente baixa em comparação com o flash brilhante típico a cerca de 97 km a 113 km. 

De forma mais geral, as bolas de fogo podem entrar na atmosfera a velocidades que excedem em muito a barreira do som, mais especificamente entre 40 mil e 260 mil km/h, de acordo com a AMS.

Bolas de fogo podem causar estragos

Enquanto a maioria das bolas de fogo são inofensivas, quando são muito grandes e passam muito próximas do solo elas podem causar danos. Um meteorito ocorrido em 2013 na cidade de Chelyabinsk, no centro da Rússia, gerou uma explosão equivalente a quase 500 quilotons de TNT, o que é cerca de 26 a 33 vezes a energia liberada pela bomba de Hiroshima. 

A onda de choque causada pela explosão danificou edifícios e quebrou janelas, produzindo estilhaços que feriram mais de 1,2 mil pessoas.

A Nasa tem uma rede de telescópios e instituições parceiras que varrem regularmente os céus em busca de ameaças de asteroides maiores, sob coordenação de seu Gabinete de Defesa Planetária. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!