A Samsung anunciou nesta sexta-feira (8) o seu lucro obtido ao longo do terceiro trimestre encerrado em setembro. No total, a gigante sul-coreana captou 15,8 trilhões de wons — o equivalente a cerca de US$ 13,26 bilhões. A quantia corresponde a um aumento de 28% frente ao mesmo período do ano passado.

O resultado foi um marco para a companhia, já que, segundo a CNBC, este é o melhor lucro trimestral registrado pela Samsung desde o terceiro trimestre de 2018, quando a fabricante de eletrônicos obteve um lucro de 17,5 trilhões de wons (US$ 15 bilhões na cotação atual).

publicidade

Apesar do resultado positivo, o número ficou ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas de mercado, que apontavam um lucro de 16,1 trilhões de won.

Em vendas, a empresa também registrou um novo recorde: 73 trilhões de wons (cerca de US$ 61 bilhões), um aumento de 9% em relação ao terceiro trimestre fiscal de 2020.

Ações da Samsung apresentam ligeira queda

As ações da Samsung, por sua vez, não conseguiram segurar os ganhos. Na manhã de hoje, os papéis da companhia subiram apenas 1% e fecharam o pregão na ásia em queda de 0,14%.

Considerando o acumulado do ano, as ações da companhia caíram mais de 11%.

Leia mais:

Vale destacar que as operações da maior fabricante de chips e smartphones do mundo continuam sendo afetadas por fatores como a escassez global de chips (crise dos chips) e também pela pandemia, fato que, inclusive, fechou algumas de suas fábricas ao redor do mundo.

Ainda assim, um analista da Daiwa Capital Markets, sugere que o ganho da Samsung no terceiro trimestre foi “decepcionante”: “Tanto a receita quanto o lucro operacional [são] menores do que nossa estimativa de mercado”, disse SK Kim, diretor executivo e analista sênior da Daiwa.

Contudo, Kim acrescenta que o aumento dos preços dos semicondutores provavelmente terá um “impacto positivo” nos negócios da Samsung.

Os resultados completos do trimestre devem ser divulgados pela empresa no fim de outubro.

Créditos da imagem principal: Arcansel/Shutterstock

Fonte: CNBC

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!