O governador do estado da Califórnia, Gavin Newsom, assinou na última semana uma lei que visa proteger os funcionários que falam abertamente sobre casos de assédio e abuso.

Intitulado como “Silenced No More Act”, a legislação prevê que os trabalhadores na Califórnia estarão protegidos caso precisem falar sobre práticas discriminatórias (com base em raça, religião, orientação sexual, identidade de gênero, ancestralidade, deficiência e idade).

publicidade

Resta saber como a novidade implicará no restante da indústria de tecnologia, que, segundo o The Verge, é um dos segmentos que costuma optar que os funcionários assinem acordos extremamente restritivos.

A Apple é um dos exemplos de gigantes que ainda se recusam a deixar claro se os funcionários podem ou não discutir sobre assédio e discriminação no local de trabalho.

Por fim, segundo a publicação, embora a iniciativa proteja apenas os funcionários que trabalham na Califórnia, outros parlamentares podem optar por expandir a ideia em outras regiões dos Estados Unidos.

A nova lei entrará em vigor no dia primeiro de janeiro de 2022.

Via: The Verge

Leia mais:

Funcionária da Apple foi afastada após denunciar discriminação de gênero

Ashley Gjøvik sentada sorrindo em um sofá cinza com um vaso de platas verdes ao fundo. Ela foi afastada da Apple após denunciar discriminação de gênero.
Ashley Gjøvik foi afastada da Apple após denunciar discriminação de gênero. Imagem: Divulgação/Ashley M. Gjøvik

Ashley Gjøvik, que ocupava o cargo de gerente sênior do programa de engenharia da Apple, decidiu denunciar o ambiente de trabalho que ela afirmava ser hostil, além de diversas situações de discriminação de gênero que ela enfrentou na empresa de Cupertino.

Em entrevista ao The Verge, a executiva revelou que ao levar as queixas ao setor de relacionamento com funcionários da Apple, ela recebeu como retorno apenas a recomendação de realizar um tratamento terapêutico e tirar uma licença.

Por ora, a engenheira afirmou que usará as suas redes sociais para mostrar como a Apple conduz as investigações e quais serão os resultados.

Créditos da imagem principal: ARMMY PICCA/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!