A Netflix reintegrou a engenheira Terra Field na noite de terça-feira (12). A profissional havia sido suspensa pela plataforma de streaming, que alegou que ela havia comparecido a uma reunião exclusiva para membros do executivo. Tudo aconteceu depois que Field, que é transexual, criticou a transfobia no especial de stand-up de Dave Chappelle, exclusivo do serviço.

A engenheira usou sua conta no Twitter para mostrar um trecho do e-mail que cancelou sua suspensão na empresa. Na mensagem da Netflix, Field foi informada que a investigação conduzida pela companhia mostrou que não houve má intenção dela em participar da reunião. No mesmo comunicado, a plataforma admite que um diretor compartilhou o link da videochamada com Field.

publicidade

Leia mais:

“A Netflix me reintegrou depois de descobrir que não houve má intenção em minha participação na reunião de executivos. Incluí a declaração que solicitei abaixo. Vou tirar alguns dias de folga para descomprimir e tentar descobrir onde estou. No mínimo, sinto-me vingada”, escreveu a funcionária.

Além de Terra Field, outros funcionários que não integram as camadas executivas da companhia participaram da reunião e foram suspensos posteriormente. A Netflix confirmou a veracidade do e-mail anexado ao tuíte da engenheira. A empresa afirmou que vai dar orientações mais claras sobre as reuniões de agora em diante.

Um porta-voz da companhia destacou ainda que a suspensão de Field não foi porque a profissional se expressou contra o especial de stand-up de Dave Chappelle, chamado ‘The Closer’. O humorista escancara preconceito na produção, zombando da identidade de gênero e se dizendo “TERF”, sigla em inglês para as feministas radicais que excluem mulheres trans do movimento.

dave chapelle ted sarandos
Especial de Dave Chappelle (D) contém comentários transfóbicos. A “liberdade criativa” foi defendida por Ted Sarandos (E). Imagem: Kathy Hutchins / Shutterstock.com

O especial de Chappelle atraiu diversas críticas, incluindo de Jaclyn Moore, roteirista e coshowrunner de outra produção da Netflix, a série ‘Cara Gente Branca’. A situação fez com que Moore afirmasse que não vai mais trabalhar com a plataforma.

Mas, houve quem defendesse o especial. O co-CEO da Netflix Ted Sarandos, um homem cis (pessoa que se identifica com o gênero ao qual foi designado ao nascer), afirmou que o especial de Chappelle não será removido da plataforma e ainda afirmou que a empresa vai apoiar “sua liberdade criativa”, mesmo que isso signifique conteúdo que “algumas pessoas acreditam ser prejudicial”.

Via: Deadline / The Hollywood Reporter

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!