A prefeitura do Rio de Janeiro lançou um programa de combate à pobreza menstrual e vai distribuir absorvente nas escolas da rede municipal. O anúncio foi feito pelo prefeito Eduardo Paes nesta quarta-feira (15).

O projeto “Livre para Estudar” vai receber investimento de R$ 14 milhões por mês e deve atender cerca de 100 mil alunas da rede pública. O tema virou polêmica após o presidente Jair Bolsonaro vetar um projeto que previa a entrega de absorvente gratuito através do Sistema Único de Saúde (SUS).

publicidade

Distribuição de absorventes no Rio de Janeiro

No anúncio, Paes criticou a decisão do Governo Federal. “Temos que superar esses tabus. Menstruação é normal. Eu fiquei impressionado com a não disposição do governo federal em avançar nisso. Vamos distribuir absorventes para todas as meninas da rede. A gente precisa começar a ter coragem”, disse o prefeito do Rio.

Leia mais:

“Existe muita patrulha conservadora. É preciso haver um debate nacional. Existem pessoas que não admitem debater assuntos porque elas perderiam perder facilmente. Eu não diria que é uma resposta para o governo. A compra já vinha sendo feita. Mas, eu quis acelerar o programa. Não estamos tratando da opinião do presidente ou do prefeito. Estamos tratando de um tema de dignidade humana”, completou ainda.

Segundo a prefeitura, o programa prevê o uso de mais de oito milhões de absorventes para cerca de 100 mil alunas das 1.543 escolas municipais da cidade. As estudantes que quiserem o absorvente devem solicitar na direção do colégio.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!