A GM anunciou na quarta-feira (13) que vai estender a paralisação na produção do Chevrolet Bolt nos Estados Unidos até o fim de outubro. A maior montadora do país agora trabalha para acelerar a fabricação de novos módulos de bateria — o principal motivo por trás da suspensão dos trabalhos — e priorizar reparos de recall.

No fim de julho, a GM anunciou a retirada de 140 mil veículos — incluindo alguns no Brasil — do mercado por risco de fogo. A medida, que ocorreu após a ocorrência de três incêndios em duas semanas nos carros elétricos, acabou atrasando a produção de módulos de bateria para o Chevrolet Bolt e, consequentemente, justificando a paralisação.

publicidade

O trabalho na fábrica responsável pela montagem do Chevrolet Bolt em Michigan está suspenso desde o último dia 23 de agosto. A GM planejava retomar a produção em meados de outubro, o que não foi possível pelos problemas na bateria.

LG promete investir cerca de US$ 2 bilhões em novas baterias

Além da paralisação, a GM disse ainda que chegou a um acordo com a LG sobre os custos para o recall do Chevrolet Bolt. Segundo a montadora, a fornecedora sul-coreana deve investir cerca de US$ 1,9 bilhões (cerca de R$ 11 bilhões) na substituição das baterias.

A fabricante americana não detalhou quanto desse montante servirá para cobrir o rombo em sua receita, mas estima uma recuperação no terceiro semestre após a compensação pelos encargos referentes ao recall.

De acordo com informações da Bloomberg, no entanto, a LG dividiu os custos do pagamento entre suas empresas da seguinte forma: a LG Energy Solution, que fabrica as células da bateria, vai repassar US$ 520 milhões (R$ 2,9 bilhões), e a LG Electronics, divisão responsável pelos módulos, vai arcar com US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões) na receita da montadora.

Para melhorar a situação da paralisação do Chevrolet Bolt, a LG implementou novos processos de fabricação e vai trabalhar com a montadora para “revisar e aprimorar seus programas de garantia de qualidade para fornecer confiança em suas baterias no futuro”.

Segundo a GM, em até 90 dias, a montadora americana também vai lançar um novo “pacote de software de diagnóstico avançado que vai aumentar os parâmetros de carga da bateria disponíveis em relação à orientação existente”.

Via InsideEVs

Imagem: Divulgação/Chevrolet

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!