A cidade de Serrana, no interior de São Paulo, foi escolhida pelo Instituto Butantan para um teste de vacinação em massa para avaliar a imunidade da CoronaVac no mundo real. Nesta terça-feira (19), o laboratório divulgou os primeiros resultados do projeto mostrando que 99% dos voluntários desenvolveram anticorpos contra a Covid-19 dois meses após a segunda dose.

Os números são maiores, inclusive, do que os identificados nos testes de fase 1 e 2 do imunizante, quando foram detectados anticorpos em, respectivamente, 97% e 98% dos participantes do estudo.

publicidade

Projeto Serrana com a CoronaVac

Todo o conteúdo do Projeto Serrana vai ser divulgado em um artigo científico que ainda não foi publicado. “Além de comprovar, mais uma vez, a durabilidade da proteção gerada pela vacina, a pesquisa tem o diferencial de analisar os anticorpos e a imunidade celular no mundo real, o que até o momento, na literatura científica, sempre foi feito apenas em laboratório”, diz um trecho do anúncio.

Leia mais:

“A gente já tem o número de anticorpos dos adultos e dos mais idosos. O artigo vai contar como estava a variação sorológica nesses últimos três meses”, explica um dos coordenadores médicos do estudo e diretor técnico do Hospital Estadual de Serrana, Gustavo Volpe, em um comunicado divulgado pelo laboratório.

Depois de ter 97% dos moradores vacinados com a CoronaVac, os casos sintomáticos de Covid-19 despencaram 80%, as internações, 86%, e as mortes, 95%, após a segunda dose do último grupo. Agora, Serrana também já está aplicando a terceira dose da vacina em idosos e pessoas com o sistema imunológico frágil.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!