Funcionários do Departamento de Parques e Vida Selvagem do Texas, nos Estados Unidos, encontraram uma criatura chamada piolho comedor de língua em um peixe capturado na Ilha Galveston.

O parasita come a língua do peixe e a substitui sobrevivendo ao se alimentar com o muco do animal. Este, inclusive, é o único caso conhecido de um parasita substituindo funcionalmente o órgão de seu hospedeiro.

publicidade

Leia mais:

“O piolho comedor de língua ou ‘isópode sufocante do pargo’ é comum entre certas espécies de peixes, como a corvina do Atlântico, a truta-pintada e algumas espécies de pargo. Estes são crustáceos isópodes e estão relacionados aos percevejos, também conhecidos como roliços, que você pode encontrar no seu quintal”, explicou o diretor científico da pesca costeira, Mark Fisher.

Importante salientar que a criatura “não mata os peixes nem afeta os humanos”, afirmou o especialista. “Pode ser uma surpresa espiar dentro da boca de um peixe e ver outro par de olhos olhando para você”, brincou Fisher.

Criatura comedora de língua
Criatura comedora de língua encontrada no Texas.
Créditos: Reprodução/Facebook

Aquário descobre micróbios que “roubavam” remédios de peixes

No Aquário de Shedd, em Chicago, EUA, um crime vinha ocorrendo repetidas vezes: os pesquisadores jogavam na água remédios para os peixes, a fim de garantir que novos animais não entrassem com patógenos selvagens que infectassem os que já estavam em cativeiro. Entretanto, não importava o que eles fizessem, os medicamentos continuamente sumiam antes de fazer efeito.

Desesperados, os pesquisadores acionaram os microbiólogos da Universidade Northwestern e, depois de muita análise, finalmente, a força-tarefa chegou a um suspeito. Ou melhor: vários suspeitos.

Imagem mostra o Aquário de Shedd, nos EUA, onde micróbios roubavam os remédios de peixes
O Aquário de Shedd, em Chicago, é a casa de tubarões, lontras, tartarugas, corais, cavalos-marinhos, pinguins e vários outros animais, e todos são tratados com medicação que micróbios estavam roubando dos tanques (Imagem: Shedd Aquarium/Divulgação)

Micróbios. Uma família inteira deles. Especificamente, micróbios que se alimentam de nitrogênio – e eles estavam com bastante fome. Entenda na matéria clicando aqui.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!