Recentemente, a SpaceX completou o primeiro teste de disparo estático da Starship SN20. Além disso, a empresa fundada por Elon Musk também conduziu um teste de uma nova versão do motor de propulsão Raptor – convenientemente chamado “Raptor 2” – e, segundo tuítes do CEO publicados em 24 e 25 de outubro, tudo indica que o componente acabou destruído.

Leia também

publicidade

O Raptor 2 é um dos projetos mais recentes da SpaceX, que confirmou no passado que a produção em massa do modelo deve ficar sob encargo da nova estrutura de fabricação da empresa em McGregor, no estado norte-americano do Texas. Até hoje, esse novo motor nunca levantou voo em nenhum protótipo da nave Starship – atualmente, na versão 20 – nem tampouco do foguete Super Heavy.

Desenhado para entregar até 230 toneladas de empuxo, ele consiste de uma evolução considerável de potência em relação à geração atual (que vai até 185 toneladas). Assim sendo, os tuítes de Elon Musk não surpreendem: a SpaceX levou um protótipo do novo motor a 107% de sua capacidade – rendendo em sua explosão completa:

Apesar do teste ir além do que o motor supostamente aguenta, avaliações anteriores do primeiro Raptor conseguiram chegar mais longe – e sobreviver no processo -, então não é possível ainda afirmar se algo deu errado durante o novo teste, ou se a explosão do motor era algo já esperado pela empresa.

Segundo Elon Musk, o Raptor 2 tem algumas diferenças essenciais em relação aos modelos anteriores: suportes mais rígidos para a fiação, encanamento mais limpo e uma saída de combustão bem mais aberta. No passado, o CEO da SpaceX referiu-se ao projeto como um “aprimoramento em simplicidade”.

Atualmente, o Raptor está disponível em duas variantes: uma para uso na atmosfeta (Raptor Center e Boost) e uma especialmente desenhada para funcionamento no vácuo do espaço (RVac). Ainda não se sabe se o Raptor 2 contará com a mesma premissa ou se a SpaceX o manterá como um modelo exclusivo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!