Durante o evento Connect hoje (28), o Facebook mostrou rapidamente o headset Project Cambria, que será lançado ano que vem, e deve contar com tecnologias de ponta, custando bem caro. Esse será o primeiro headset feito já com o metaverso do Facebook, oficialmente apresentado hoje.

Project Cambria será primeiro headset do metaverso do FB

No release, a empresa cita que o headset Project Cambria terá tecnologia para que o usuário consiga perceber o ambiente ao seu redor. Para interação, além de atender a comandos de voz, ele atenderá a gestos feitos com o pulso do usuário. Essa será uma nova geração de headsets VR do Facebook, ou melhor, da Meta, novo nome da empresa.

publicidade

Hoje, a empresa que conhecemos como Facebook anunciou sua mudança de nome para Meta, uma abreviação do metaverso, um projeto no qual eles estão apostando o seu futuro, incluindo aí dinheiro e mão de obra, e o Project Cambria deve ser uma parte fundamental dos primeiros passos desse futuro imaginado por Mark Zuckerberg.

Foi um longo caminho desde que o Facebook comprou a Oculus em 2014 por US$ 2 bilhões, e desde o lançamento do Oculus Rift no ano seguinte. A novidade marca o fim da linha para a marca Oculus, que será descontinuada. A partir de 2022, todos os novos headsets serão vendidos com a identidade da Meta, assim o próximo Oculus Quest será chamado Meta Quest.

Além do novo nome e da apresentação do seu projeto para o metaverso, também foram anunciadas melhorias na realidade aumentada do Instagram, que agora vai reconhecer o corpo todo, e não apenas o rosto dos usuários.

Project Cambria poderá ser controlado por voz, gestos ou joysticks

Imagem do Project Cambria, novo headset que deve ser lançado em 2022 para o metaverso do Facebook
Imagem do Project Cambria, novo headset que deve ser lançado em 2022 para o metaverso do Facebook / Divulgação: Facebook

Na imagem do Project Cambria divulgada na apresentação do Connect, vemos além do headset, dois joysticks ou controles manuais, ou seja, ele também deve ser lançado com esses acessórios, apesar de funcionar de forma independente.

Além do já citado reconhecimento de voz, feito pelo Voice SDK, a empresa também criou uma ferramenta para facilitar a vida dos desenvolvedores que forem trabalhar com realidade virtual no metaverso, o Interaction SDK, que já tem interações com gestos de mão prontas para serem usadas em seus programas.

Leia também:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!