O relatório mais recente divulgado pelo Fórum Econômico Mundial – o The Future of Jobs 2020 – deixa claro quais caminhos estão sendo pavimentados para o futuro do trabalho: computação em nuvem, big data, e-commerce, criptografia, robôs não humanos e inteligência artificial (IA) são apenas algumas das tecnologias citadas pelo documento e que há algum tempo tomam conta do cenário de oportunidades mundiais para profissionais.

No meio desse mar de possibilidades, a busca por desenvolvedores só cresce. Para se ter uma ideia, a demanda por esses especialistas representou 26% das vagas abertas no ano passado, no ápice da pandemia. Só nos primeiros meses de 2021, as oportunidades abertas com o mesmo foco representavam 17% do total de vagas abertas.

publicidade

É exatamente no preenchimento desse “gap” que a Digital Innovation One (DIO) acaba atuando – apesar de esse não ser o principal propósito da empresa. Fundada em 2018, diminuir a escassez de especialistas no mercado de tecnologia foi uma mera consequência.

“Nosso principal motivo nunca foi fechar esse ‘gap’, mas sim impulsionar o social”, explica Iglá Generoso, cofundador e CEO da companhia, em entrevista ao Olhar Digital.

Leia também!

Essa vontade se mistura com a própria história do executivo: de classe média baixa, Generoso começou a trabalhar aos 14 anos, após perder o pai, para ajudar no sustento da casa comandada pela mãe costureira.

“A tecnologia transformou a minha vida, me abriu novos caminhos”, conta ele, afirmando que após comprar um livro de programação foi quando entendeu que aquilo poderia ampliar seus horizontes. 

De fato, foi o que aconteceu: alguns anos depois, já como programador, ele foi parar no meio do Vale do Silício, berço das principais empresas de tecnologia da atualidade, e percorreu caminhos onde conheceu seus sócios-fundadores, Gustavo Pereira e Pablo Zaniolo. 

A ideia de treinar pessoas por meio de um sistema de ensino no qual o resultado final seria o emprego e não apenas um certificado parecia a melhor maneira de unir a tecnologia que tanto o ajudou com o objetivo social. Assim nasceu a DIO que, com seis meses de operação, recebeu aceleração, visibilidade e criou musculatura para crescer.

Hoje, a companhia contabiliza mais de 600 mil desenvolvedores cadastrados na plataforma, mais 1 milhão de bolsas de estudo distribuídas e mais de 1 mil contratados feitos por meio dos programas da plataforma.

No início deste ano, o aporte de R$ 3,5 milhões da DOMO Invest coroou o ritmo da empresa, contribuindo com a criação de novos planos para cursos e programas de treinamento. “Hoje, temos ao menos três empresas patrocinando mensalmente o lote de bolsas”, afirma Generoso.

Nesta segunda-feira (1º), a DIO oficializa o lançamento de um programa para auxiliar profissionais que querem seguir carreira internacional, completando os três principais pilares da atuação da companhia: educação gratuita em TI, inclusão social e programa internacional.

Na foto, Iglá Generoso, cofundador e CEO Digital Innovation One (DIO)
Na foto, Iglá Generoso, cofundador e CEO Digital Innovation One (DIO). Crédito: divulgação/DIO

Bolsas de estudo completamente gratuitas

O modelo de operação da startup é bastante atrativo, tanto do lado das empresas quanto do lado do candidato: para um, a plataforma é um hub de talentos bem treinados; para outro, é a oportunidade de entrar no mercado de trabalho, ou mesmo se especializar.

Assim, a startup conseguiu alcançar o posto de uma das maiores plataformas de open education em TI da América Latina, com bolsas de capacitação totalmente gratuitas para os candidatos.

Nessa toada, a empresa promove regularmente bootcamps patrocinados por companhias que precisam preencher suas vagas em setores da tecnologia. “Durante a jornada, os alunos também recebem mentorias com especialistas da empresa patrocinadora”, explica Generoso.

Esse é outro ponto benéfico para os alunos que acabam aprendendo outras habilidades além de, claro, as técnicas exigidas pelo mercado. “Temos também como grande diferencial a nossa plataforma, desenvolvida para permitir ao aluno colocar todo o aprendizado em prática”, comenta o executivo.

Somente neste ano, a Digital Innovation One contabilizou mais de 15 mil talentos que usufruíram dos programas educacionais promovidos pela empresa. Além disso, a DIO registrou cerca de 600 mil profissionais conectados à plataforma até o momento – aumento de 90% na comparação com os 300 mil registrados em 2020.

Leia mais!

O crescimento da empresa no último ano, em especial, foi impulsionado por parcerias seladas com 20 grandes empresas nesse modelo de patrocínio. Na lista, estão grandes nomes do mercado como: Avanade, Banco Inter, Capgemini, everis (agora NTT DATA), Grupo Carrefour, GFT, Localiza, MRV, Santander.

Diversidade e inclusão social em foco

Além do trabalho junto a empresas, a startup atua também em estreito relacionamento com órgãos governamentais e ONGs.

Em São Paulo, por exemplo, a Digital Innovation One possui uma parceria com o Centro Paula Souza (CPS), instituição vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado e responsável pelo ensino técnico em escolas estaduais (Etecs) e também nas Faculdades de Tecnologia (Fatecs).

E não apenas alunos possuem a oportunidade de acesso à plataforma de educação da DIO, mas também os professores.

Generoso conta que há também a atuação com ONGs, com intuito de empoderar grupos minorizados e incentivar meninas a atuarem no mundo da tecnologia.

“Pensamos em diversidade regional. Como fazer para que essa bolsa chegue em Rondônia, no Acre, no Capão Redondo e outras periferias de São Paulo? Ou colaborar com a inclusão de mais mulheres? Temos de ir além do simplesmente fazer uma boa campanha de marketing com um recorte dentro de uma bolha”, afirma, complementando que há um time de vendas dedicado para trabalhar nesse sentido.

Expansão para o mercado internacional

Além do estado de São Paulo, atualmente, a empresa opera em Alagoas, Bahia, Maranhão e Minas Gerais. E, a partir de hoje, também comanda uma ampliação do portfólio de carreira com foco no internacional.

“Olhamos para o profissional como um cidadão do mundo. Nesse sentido, queremos abrir o leque de opções da plataforma, oferecendo a contratação por expatriações, por exemplo”, conta Generoso, durante a entrevista ao Olhar Digital.

“Queremos ajudar os desenvolvedores que possuem esse sonho internacional a realizá-lo, com ferramentas e soluções de carreira para as pessoas que tem esse interesse específico”, pontua.

Leia também!

A empresa conta com exclusividade ao Olhar Digital que as contratações funcionarão por meio das bolsas de estudo gratuitas, da mesma forma que acontece com oportunidades internamente, mas com foco em brasileiros que queiram trabalhar presencialmente ou de forma remota para companhias sediadas em outros países.

A internacionalização da DIO faz parte do novo posicionamento da marca, que será apresentado às 16h desta segunda-feira, em evento online no YouTube. Na ocasião, a startup fará o lançamento de dois programas internacionais de aceleração de carreiras:

O primeiro é resultado da parceria com a Volkswagen Digital Solutions. Por meio do International Career Acceleration #1 Volkswagen DS – Road to Portugal, a oportunidade é voltada para profissionais que já trabalham como desenvolvedores e que tenham interesse e disponibilidade para se mudar para Lisboa, em Portugal.

A segunda oportunidade é em parceria com a empresa portuguesa TONNIE, por meio do programa International Career Acceleration #2 TONNIE – Talent On European Experience, também destinado a desenvolvedores brasileiros que queiram aprimorar habilidades e constituir carreira na Europa.

Os planos de expansão para a plataforma, tanto para o exterior quanto para o Brasil, não param por aí: no total, o portfólio atual de formações da DIO conta com 15 carreiras, desde o desenvolvimento com foco em aplicativos, passando por front-end e back-end, dados, engenharia e qualidade de software.

No próximo ano, a previsão é de ampliar o portfólio para 25 carreiras, abraçando especializações emergentes como inteligência artificial, engenharia de dados, DevOps, SRE (sigla em inglês para ‘Engenharia de Confiabilidade de Sites’).

Crédito da imagem principal: Midnight Studio TH/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!