Após o remédio da Merk ser aprovado no Reino Unido, o antiviral produzido pela Pfizer contra a Covid-19 teve seus resultados apresentados e mostram que ele é capaz de reduzir em até 89% as chances de casos graves ou mortes pela doença em pacientes que apresentem comorbidades. A nova pesquisa foi divulgada nesta sexta-feira (5).

O ensaio clínico contou com a participação de 1.200 voluntários entre vacinados e não vacinados. Todos tinham pelo menos uma comorbidade. Assim como ocorre com estudos desse tipo, metade do grupo tomou o remédio da Pfizer e a outra metade placebo.

publicidade

O Paxlovid é usado em duas doses diárias por até cinco dias. Ainda segundo a farmacêutica, os resultados foram tão convincentes que as outras partes da pesquisa não precisaram ser realizadas, apesar da fase 3 ter sido concluída. Dessa forma, a empresa deve entrar com o pedido de uso emergencial do medicamento.

Leia mais:

Remédio da Pfizer contra a Covid-19

O remédio da Pfizer foi testado no Brasil também. O país participou dos estudos de fase 2 e 3, com 29 centros de pesquisa nos estados de Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo.

Caso seja aprovado, esse pode ser o segundo antiviral contra Covid-19 a conseguir aprovação. O medicamento desenvolvido pela farmacêutica Mark recebeu autorização para ser usado no Reino Unido. Os resultados mostram que se tomado nos primeiros cinco dias de sintomas da doença é capaz de reduzir as hospitalizações e mortes em 48%. De acordo com os dados da farmacêutica, a pesquisa acompanhou 775 adultos com Covid-19 em seus estágios iniciais e risco de desenvolver sintomas mais graves por conta de pelo menos uma comorbidade. Metade do grupo recebeu o comprimido enquanto a outra metade tomou placebo.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!