Hoje (09/11), a Volvo disponibilizou ao público a nova geração de seu híbrido plug-in do XC60 Recharge – historicamente, o carro mais vendido da marca. É um SUV apresentado em quatro variantes: Inscription Expression (básica), Inscription (padrão), R-Design e Polestar Engineered (mais esportivas).

Como o nome indica, a última tem uma mão da submarca Polestar, que produz elétricos de luxo para concorrer diretamente com a Tesla. As diferenças para o R-Design são em ajustes de performance. Há oito opções de cores e múltiplos interiores, cuja disponibilidade depende do modelo.

publicidade

Leia mais:

Em relação à geração anterior, houve ligeiras mudanças no visual: as versões Inscription ganharam uma grade e detalhe no parachoque dianteiro cromados.

Frente da versão inscription (Imagem: Mário Kurth/Olhar Digital)

As versões R-Design e Polestar engineered receberam uma frente mais modificada, com um parachoque de visual mais esportivo e uma grade plástica.

Carro híbrido Volvo XC40 Polestar Engineered
Frente do Polestar Engineered (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

Puxando para a ideia de carro elétrico, os XC60 também ganharam escapamentos ocultos no parachoque traseiro.

O interior que conta

Mas a maioria das atualizações está no interior. O carro passa a contar com maior integração ao Google Assistente e Google Maps que, além do monitor central, podem ser projetados no painel digital e, nos modelos avançados, num HUD (monitor projetado, como de aviões) no parabrisas.

Interior do Polestar Engineered (Imagem: Mário Kurth/Olhar Digital)

Nas versões R-Designed e Polestar Engineered também há câmera de 360 graus, que ajuda a criar avisos para navegação e manobras como estacionar.

Mas não o Volvo XC60 não é um carro com autonomia: a assistência ao motorista fica num alerta para quando o tráfego começa a avançar e o carro não se moveu ainda (“Ready to Drive”). E também um sistema de parada de emergência, com luzes de alerta automáticas, caso o motorista pare de reagir (“Emergency Stop Assist”).

Há ainda um novo filtro de ar, eliminando micro-organismos por ionização e filtrando partículas de menos de 2 nanômetros.

Volvo XC60: um híbrido plug-in no país dos convencionais

Agora, o mais importante: o que move tudo isso. O híbrido Volvo XC60 tem um motor elétrico central e um motor a gasolina de 2 litros e 4 cilindros. Juntos, produzem 407 cv. de potência. Isso é idêntico em todas as versões. O conjunto faz de 0 a 100 km/h em 5,3 segundos.

Há diversos modos de direção. O motor de combustão sempre funciona com assistência do motor elétrico, mas o elétrico pode funcionar sozinho. Na prática, se a autonomia for o suficiente, é possível ignorar o posto de combustível indefinidamente.

No modo puramente elétrico, a velocidade máxima é limitada a 120 km/h, a partir do que o motor a combustão é acionado automaticamente.

Há uma autonomia puramente elétrica de 40 km – o que, dependendo do usuário, pode ou não ser o suficiente para o dia a dia. Para carregar, são 3 horas numa tomada, que usa um plugue do tipo industrial com aterramento, mas de resto é comum, com 220 V (não é difícil instalar em casa).

Os preços básicos são: Inscription Expression: R$ 399.950; Inscription: R$ 429.950; R-Design: R$ 439.950; Polestar Engineered: R$ 466.950. Os carros podem ser customizados com adicionais em sua página de venda.

O Volvo XC60 é uma exceção em ser um híbrido do tipo plug-in (PHEV) disponível num país em que a grande maioria dos híbridos não conta com essa opção. Um híbrido não plug-in (HEV) é basicamente movido a combustível: a energia do motor elétrico vem do combustível do posto, sem opção de tomada. Um PHEV carrega na tomada ou no posto.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!