Leonardo DiCaprio está fechando negócio para interpretar mais uma figura da vida real. Depois de reproduzir nas telas políticos, criminosos, magnatas e corruptos, agora o ator se prepara para o papel de Jim Jones, líder da seita Templo dos Povos, em um novo filme da MGM.

Talvez seja um pouco difícil de lembrar por nome, mas Jim Jones fundou e liderou a seita que se tornou famosa no final dos anos 1970 por causa do suicídio e assassinato em massa de mais de 900 membros, na cidade de Jonestown, na Guiana. Além disso, o líder cultista também matou o congressista norte-americano Leo Ryan, antes de tirar a própria vida.

publicidade

Leia mais:

Jones criou o Templo dos Povos em 1954, em Indianápolis. Em um local racialmente integrado durante uma época em que havia separação das pessoas por causa da cor da pele nos Estados Unidos, ele incentivava os membros da igreja a adotar crianças de diferentes etnias. Jim Jones e a esposa eram pais de uma menina indígena, três coreanos, um afro-americano e um branco.

O líder ganhou notoriedade, apoio político e midiático, na busca pelo fim da segregação racial. Com o tempo, porém, Jim Jones chegou a entrar em atrito com apoiadores políticos. A sede mudou do estado de Indiana para a Califórnia, na cidade de São Francisco. Ele chegou, inclusive, a visitar o Brasil.

Jim Jones fundou o Templo dos Povos nos anos 1950. Imagem: Nancy Wong (CC BY-SA 3.0)

Nos anos 1970, a seita arrendou um espaço na Guiana, perto da fronteira com a Venezuela, para construir uma comunidade rural autossustentável. Mas o local tinha solo pobre e pouca água doce. Superpovoada, Jonestown viu as condições de vida se deteriorarem.

Em 18 de novembro de 1978, 909 norte-americanos morreram na cidade, por envenenamento através da ingestão de cianeto. Destes, 304 eram crianças. Inicialmente, o caso era tratado como um suicídio coletivo, mas alguns sobreviventes consideram um assassinato em massa. O crime aconteceu após o assassinato de Leo Ryan.

O filme que contará a história de Jim Jones foi escrito por Scott Rosenberg, roteirista de ‘Venom‘ e dos dois novos títulos da franquia ‘Jumanji’. A MGM aceitou o projeto e tem ainda Leonardo DiCaprio como um dos produtores, junto a Jennifer Davisson, pela Appian Way, fundada pelo ator em 2001. Além de escrever, Rosenberg será produtor executivo.

Via: The Hollywood Reporter / Variety

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.