A SpaceX deve fazer o primeiro lançamento orbital da Starship, sua nave espacial, em janeiro de 2022. A promessa veio do próprio CEO e fundador da empresa, Elon Musk, que mencionou a previsão durante conferência virtual com a Academia Nacional de Ciências dos EUA.

Musk, contudo, não se limitou apenas ao “primeiro” lançamento, dizendo também que antecipa mais “uma dúzia” de partidas ao longo de 2022, embora ele também tenha admitido que os principais obstáculos enfrentados pela SpaceX, hoje, são de caráter regulatório (para a primeira missão) e de produção: “protótipos são fáceis, a fabricação que é difícil”, ele disse na última quarta-feira (17) no Twitter.

publicidade

Leia também

A reunião durou quase oito horas e foi transmitida via YouTube, com Musk sendo a “atração” final da ocasião. O CEO respondeu a diversas questões dos painelistas científicos, o que nos permitiu acesso a novos detalhes sobre a Starship. A parte mais interessante é a de que Musk não espera um sucesso completo no primeiro lançamento, considerando o caráter de novidade do projeto.

“Existem diversos riscos associados a esse primeiro lançamento, então eu não diria que ele tem boas chances de sucesso, mas nós vamos fazer muito progresso com ele mesmo assim”.

Segundo Musk, a ideia é seguir um processo de intensidade crescente para estabelecer a segurança da nave. Disse ele que a Starship fará o primeiro de diversos testes orbitais em janeiro, com mais “um punhado” de voos de avaliação em seguida. Ao final de 2022, a SpaceX deve começar a usar a nave orbital para lançar satélites de alto desempenho, para só então partir para missões maiores, como possíveis viagens tripuladas por astronautas.

Para isso, a SpaceX ainda deve conduzir “uma série de testes” ao longo de dezembro: recentemente, a empresa conduziu o primeiro teste de fogo estático da Starship SN20, seu protótipo de classe orbital. Todos os seis propulsores Raptor foram disparados e o teste foi bem sucedido.

Foto da SpaceX mostra o primeiro teste de disparo de seis motores Raptor no protótipo do foguete Starship SN20 da empresa em 12 de novembro de 2021 nas instalações da Starbase perto da vila de Boca Chica, no sul do Texas. Um impulsionador Super Pesado da Nave Estelar está à direita.(Crédito da imagem: SpaceX)

Falta, contudo, o Super Heavy, o foguete que vai carregar a Starship da Terra até o limite do espaço com o nosso planeta. Foi a ele que Musk se referiu para testes no mês de dezembro, depois de o foguete – o maior de seu tipo – passar vários meses sem acionamento direto nas estruturas da SpaceX no Texas.

Atualmente, nave e foguete já tiveram seus desenvolvimentos finalizados, mas ainda falta a base de suporte para lançamento e algumas atribuições menores na estrutura de captura do conjunto – ambos têm o intuito de serem reutilizáveis. Após tudo isso, mas antes do primeiro voo, a Administração de Aviação Civil (FAA) dos EUA deverá conduzir mais uma vistoria para garantir a normalidade técnica – posicionando o mês de janeiro do ano que vem como o possível ponto de lançamento.

O estranho das promessas de Musk é a questão da “dúzia” de lançamentos em 2022: por norma, mesmo no melhor cenário possível para a SpaceX, a FAA costuma limitar o número de lançamentos no mesmo ano para algo entre três e oito tentativas – tudo depende do tipo de foguete e alguns outros fatores.

Até hoje, nenhum foguete na história sequer chegou a nove lançamentos no mesmo ano de sua estreia, e geralmente, os poucos que chegam a dois dígitos de lançamento só o fazem a partir do seu segundo ano.

Musk, contudo, não explicou como pretende mudar isso.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!