A espaçonave Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), da Nasa, está em órbita da Lua há 12 anos, fotografando o solo de nosso satélite natural a uma distância entre 20 e 165 km da superfície. Por isso, uma das imagens mais recentes enviadas pela espaçonave chama a atenção: em vez do solo lunar, ela mostra Saturno, um dos gigantes do sistema solar.

A imagem foi feita quando a espaçonave estava a 90 km de altitude sobre um local conhecido como “Lacus Veris” (Lago da Primavera), usando uma câmera chamada Narrow Angle Camera (NAC, Câmera de Ângulo Estreito). Esta câmera opera em um princípio diferente das câmeras tradicionais, chamado “line scan”: ela captura apenas uma linha da imagem de cada vez e usa o movimento da espaçonave para “varrer” o terreno abaixo dela e gerar a imagem completa.

publicidade

Leia também

Para conseguir fotografar Saturno, os engenheiros da Nasa apontaram a câmera para um dos lados do planeta e definiram como alvo o lado oposto, usando o movimento para “varrer” o espaço. Como o movimento é otimizado para priorizar velocidade e estabilidade, o tempo de exposição de cada linha foi de apenas 3,82 milissegundos.

Como Saturno é menos brilhante que a nossa Lua ou Júpiter, que foi fotografado pelo LRO no início de outubro, nenhuma de suas luas aparecem na imagem. Mas podemos ver claramente os anéis principais, que tem entre 10 e 100 milhões de anos, 10 metros de espessura e são compostos quase que integralmente de gelo. Sua órbita ao redor do planeta tem um diâmetro de 270.000 km, cerca de 70% da distância entre a Terra e a Lua.

Saturno, visto da órbita Lunar pela LRO. Imagem: NASA/GSFC/Arizona State University

A LRO é operada pelo Goddard Space Flight Center em Greenbelt, Maryland,  os EUA, a serviço da Diretoria de Missões Científicas do quartel-general da Nasa em Washington. Com seus sete poderosos intrumentos, a LRO capturou uma enorme quantidade de informações, dando uma contribuição inestimável a nosso conhecimento sobre a Lua.

Este conhecimento será útil no programa Artemis, que pretende levar novamente homens, e as primeiras mulheres, á Lua. A primeira missão não tripulada do programa, Artemis I, está programada para fevereiro de 2022. Mas os astronautas só devem pisar em solo lunar na Artemis III, em 2025 ou mais além.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!