Um estudo publicado no jornal da American Chemical Society, Sustainable Chemistry & Engineering descreve o trabalho de pesquisadores da Universidade da Califórnia, que criaram um novo tipo de cubo de gelo que pode revolucionar a forma como os alimentos são conservados e transportados frescos sem depender de refrigeração adicional.

Esses “cubos gelatinosos” não derretem, são compostáveis, antimicrobianos e evitam a contaminação cruzada.

publicidade

“Quando o gelo derrete, não é mais reutilizável”, explicou Gang Sun, professor do Departamento de Engenharia Biológica e Agrícola da Universidade. “Achamos que poderíamos fazer o chamado gelo sólido para servir como meio de resfriamento e ser reutilizável”.

Segundo o site Phys, os cubos contêm mais de 90% de água e outros componentes para reter e estabilizar a estrutura. São suaves ao toque, como um pedaço de gelatina, e mudam de cor dependendo da temperatura.

“Esses cubos reutilizáveis ​​podem ser produzidos ou cortados em qualquer formato e tamanho necessários”, disse Jiahan Zou, estudante de Ph.D. que trabalha no projeto há dois anos.

Novos cubos de gelo podem ser moldados em qualquer formato e prometem revolucionar o armazenamento refrigerado. Imagem: Gregory Urquiaga / UC Davis

Fábricas de processamento de peixe foram inspiração para a pesquisa

“Você pode usá-lo por 13 horas para resfriar, coletar, enxaguar com água e colocá-lo no freezer para congelar novamente para o próximo uso”, afirmou Sun, revelando que, em julho, a equipe abriu uma patente para o design e o conceito do produto. 

Os pesquisadores esperam poder, eventualmente, usar resíduos agrícolas reciclados ou subprodutos como material refrigerador. “Queremos ter certeza de que isso é sustentável”, disse Luxin Wang, professor associado do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Leia mais:

A equipe começou a trabalhar nos cubos de hidrogel depois que Luxin Wang, professor associado do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos, viu a quantidade de gelo usada nas fábricas de processamento de peixe e a contaminação cruzada que a água do degelo poderia espalhar entre os produtos ou pelo ralo.

“A quantidade de gelo usada por esses locais de processamento de pescado é enorme”, disse Wang. “Precisamos controlar os patógenos”.

Cubos de gelo reutilizáveis economizam água

Sun também lamentou o mofo encontrado nas bolsas de gelo de plástico usadas na merenda escolar das crianças e em embalagens de transporte.

Segundo a equipe, os primeiros testes mostraram que os cubos podem suportar o peso de até 10 kg sem perder a forma. Eles podem ser reutilizados uma dúzia de vezes, sendo necessária apenas uma rápida lavagem com água ou água sanitária diluída. Depois disso, podem ser descartados no lixo comum.

Outra vantagem dos cubos gelatinosos é que, como alternativa ao gelo tradicional, eles podem reduzir o consumo de água e o impacto ambiental. Eles também proporcionam temperaturas estáveis ​​para reduzir a deterioração dos alimentos e podem ser ideais para empresas de preparo de refeições, companhias de transporte e produtores de alimentos que precisam manter os itens frios.

De acordo com os cientistas envolvidos no projeto, a descoberta pode reduzir potencialmente o consumo de água na cadeia de abastecimento de mantimentos e o desperdício de alimentos, controlando contaminações microbianas. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!