Foi dada a partida na corrida das empresas de telecomunicações para tentar sair na frente das rivais no lançamento da primeira parcela da rede móvel 5G no país. Enquanto a Nokia pode construir uma fábrica no Brasil para fornecer equipamentos voltados para o avanço da tecnologia, outras empresas pretendem oferecer o 5G como degustação em bairros selecionados já antes do Natal (as localidades ainda não foram divulgadas pelas teles).

A estratégia, segundo o IG, visa atender o quanto antes parte dos consumidores que já aguardam a disponibilidade da tecnologia. O prazo é bem mais antecipado em relação à previsão inicial da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O órgão demanda que a rede móvel mais recente — até cem vezes mais rápida que o 4G — esteja disponível nas capitais até o fim de julho do ano que vem.

publicidade
5G: teles querem oferecer a tecnologia antes do Natal no Brasil
Brasil deve alcançar um milhão de usuários do 5G em 2022, número que pode saltar para 50 milhões em 2025, segundo a GSMA. Imagem: Ki young/Shutterstock

Para Alejandro Adamowicz, diretor da GSMA, uma organização que representa os interesses das operadoras em todo o mundo, essa urgência das empresas reforça a importância do avanço do 5G no mercado: “Ninguém vai querer ficar sem 5G. Por isso, estamos vendo cada vez mais parcerias entre as empresas e o desenvolvimento de novos modelos de negócios”, afirmou.

Veja também

O que dizem as teles?

Segundo o diretor de tecnologia da TIM, Leonardo Capdeville, a empresa já está pronta para lançar a sua rede 5G “pura”, um dos obstáculos é a liberação da frequência usada para transmissão de sinal de TV pela Anatel: “Já estamos testando aplicações empresariais na área de energia, agronegócios e automobilística. Quando o espectro for disponibilizado, estamos prontos para ativar a rede”, afirmou o executivo.

Enquanto isso, Murilo Barbosa, vice-presidente de Negócios da Ericsson para o Cone Sul da América Latina, afirma que a implantação da tecnologia já começou, inclusive, com equipes nas ruas. Sobre a possibilidade de o 5G estar disponível antes do Natal, Barbosa foi otimista: “Há chances de termos um ‘Natal 5G’. Estamos em um momento de receber os pedidos dos clientes, configurar os equipamentos e deixá-los prontos para ativar”.

A Qualcomm, uma das gigantes dos chips, também se uniu à TIM, Ericsson e Motorola para testar a tecnologia por aqui: “A união de forças é fundamental para o avanço do ecossistema móvel 5G e a aceleração do ciclo de inovação”. destacou Alex Katauzian, vice-presidente sênior da Qualcomm.

Por fim, a japonesa NEC, por sua vez, fechou um acordo com a ‘Telefónica S/A’, dona da Vivo, para explorar o 5G no Brasil. O diretor executivo da NEC, Angelo Guerra, explicou que a ideia é integrar sua infraestrutura com equipamentos de outros fabricantes para conseguir “uma maior economia para as empresas e o consumidor”. 

Imagem principal: Dilok Klaisataporn/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!