Após uma série de adiamentos, finalmente, neste sábado (25), a partir das 9h20 pelo horário de Brasília, o telescópio espacial James Webb será lançado para explorar o cosmos de uma forma como nunca antes. Segundo Bill Nelson, administrador da Nasa, ele “vai revelar os segredos do universo”.

O administrador da Nasa, Bill Nelson, está empolgado e orgulhoso pelo lançamento do telescópio espacial James Webb no sábado (25). Imagem: Nasa – Divulgação

“O telescópio James Webb é único”, declarou Nelson em entrevista ao site Space. “É a tecnologia mais avançada, que, se tiver sucesso, revelará segredos do universo que serão simplesmente estupendos, senão quase avassaladores”.

publicidade

Ainda de acordo com o administrador da agência espacial norte-americana, Webb permitirá um “salto quântico de compreensão de quem somos, como chegamos aqui, o que somos e como tudo evoluiu”.

Com a ajuda de seu espelho extragrande, que é seis vezes maior que o espelho do telescópio espacial Hubble, James Webb será capaz de detectar luz infravermelha de estrelas e galáxias extremamente tênues e distantes. Isso permitirá que ele, basicamente, “olhe para trás no tempo”, para algumas das primeiras luzes do universo observável.

“Ele vai olhar por um buraco de fechadura no céu”, disse Nelson. “Vai enxergar mais de 13 bilhões de anos para trás, para capturar luz infravermelha do brilho emitido na formação da primeira galáxia, cerca de 250 milhões de anos após o Big Bang”.

Leia mais:

Bill Nelson se diz orgulhoso das equipes em torno do telescópio espacial James Webb

Nelson também descreveu a capacidade de Webb de identificar e estudar planetas alienígenas em trânsito ou passando na frente de suas estrelas hospedeiras. “Além de detectar exoplanetas, o telescópio será capaz de determinar qual é a composição química de uma atmosfera daquele planeta”, disse ele. “Vamos começar a ser capazes de determinar se há atmosferas habitáveis ​​como a nossa orbitando em torno de outros sóis? Vai ser muito emocionante descobrir isso”.

O itinerário científico de Webb tem quatro áreas principais de enfoque: a primeira luz no universo, o nascimento de estrelas e planetas, como e quando as primeiras galáxias do universo se reuniram e o estudo dos exoplanetas e suas atmosferas.

Essas áreas principais são apenas um ponto de partida: os ambiciosos planos de ciência de Webb também incluem a busca por vida fora da Terra e o estudo da matéria escura e energia escura.

Além de seu entusiasmo pelas capacidades de próxima geração de Webb, Nelson também disse estar se sentindo “muito orgulhoso” das equipes que desenvolveram o telescópio. “Estou muito orgulhoso da força de trabalho da Nasa e do que eles fizeram. Webb é uma missão em construção há mais de 25 anos, com desenvolvimento no escopo começando em 1996, e alguns membros da equipe de missão passaram toda a sua carreira trabalhando para criar Webb e deixá-lo pronto para o lançamento”.

Confira o especial sobre o Telescópio Espacial James Webb!

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!