O Ministério da Saúde lançou nesta sexta-feira (24) a consulta pública sobre a vacinação de crianças contra a Covid-19. Apesar disso, após menos de três horas no ar, o formulário deixou de funcionar e uma mensagem de que o sistema havia alcançado o máximo de respostas permitidas aparecida.

Agora, a pasta adicionou um novo formulário, para receber mais votos. O sistema é a Microsoft, similar o do Google, utilizado para fazer consultas e enquetes. De acordo com o site da Microsoft, o número máximo de contribuições nessa ferramenta é 50 mil.

publicidade

A consulta pública ficará disponível até o dia 2 de janeiro de 2022 e, de acordo com o texto publicado no Diário Oficial da União, a intenção da pesquisa é para que “sejam apresentadas contribuições, devidamente fundamentadas”. Para participar, clique neste link.

Consulta pública sobre a vacinação de crianças

Um dos temas da consulta é a necessidade de prescrição médica para que crianças recebam a vacina. Em coletiva na última quinta (23), Queiroga disse que a intenção do ministério é exigir o pedido médico para imunizar o grupo.

Leia mais:

“Essa vacina estará vinculada a prescrição médica, e a recomendação obedece às orientações da Anvisa”, completou Queiroga. O ministro relembrou que o imunizante já foi aprovado para utilização em crianças de cinco a 11 anos nos Estados Unidos e na Alemanha, mas que a decisão da imunização caberá aos pais.

Queiroga ainda informou que a liberação só vai acontecer após o fim da consulta pública. “Esse tempo entre a aprovação final, marcada para o dia cinco, e o início da campanha de vacinação é tempo suficiente para que as salas de vacinação se preparem para a aplicação”, declarou o ministro.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!