À medida que se afasta da Terra, o Cometa Leonard vem se tornando menos brilhante, mas cada vez mais espetacular. O motivo é que ele ainda está se aproximando do Sol e, por isso, seu material volátil como gelo e gases congelados ficam mais expostos ao calor e sublimam (se tornam gases) mais facilmente. Isso faz com que sua coma e cauda se tornem maiores e mais brilhantes. 

Sim. Na verdade ele está se tornando mais brilhante, mas como está se afastando da Terra, seu brilho parece diminuir para nós, de forma que já está difícil de vê-lo a olho nu. Mas aqueles que têm câmeras e equipamentos adequados para astrofotografia, e que estão com céu limpo no início da noite, estão aproveitando a oportunidade para registrar esse espetacular cometa.

publicidade

Leia mais:

O cometa do Natal

Muita gente, inclusive, aproveitou a noite de Natal para fotografar o Cometa Leonard. Essas pessoas receberam um belo presente dos céus: o cometa passou por um aumento súbito de brilho naquela noite, provavelmente por ação dos ventos solares. E isso gerou imagens estonteantes.

O constante bombardeio de ventos solares está alterando o Cometa Leonard de forma espetacular, gerando uma cauda magnífica e extensa. Na imagem abaixo, composta por um mosaico de duas imagens sobrepostas, o astrônomo Rob Kaufman mediu a extensão de 30 graus de arco, o equivalente a 1/6 da extensão da abóbada celeste. 

Extensa cauda do Cometa Leonard registrado em Bright, Austrália – Créditos: Rob Kaufman

Esta cauda ainda é muito tênue, só é percebida em fotografias de longa exposição, mas tem muita gente pegando carona nessa cauda de cometa para fazer imagens espetaculares do Leonard. Confira mais algumas fotos: 

O cometa Leonard estará visível por mais alguns dias. Aqui no Brasil, para observá-lo você deve olhar para a região oeste, quando o Sol estiver se pondo. Procure por Vênus, a estrela mais próxima no horizonte, na direção oeste. Um aplicativo no celular, como o Sky Map ou o Stellarium, pode ajudá-lo a se localizar.

Simulação do céu feita com o software Stellarium, mostrando a posição do cometa em relação a quatro planetas para um observador na região de Curitiba às 20h de 29 de Dezembro de 2021.

A partir do dia 04 de janeiro a Lua volta a atrapalhar a visualização do cometa. Também a partir desta data ficará cada vez mais difícil observá-lo porque ele vai baixando no céu e retornando ao hemisfério Norte.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!