Pro

China lança carteira para yuan digital e investe para popularizar aplicativo

Por Lauro Lam, editado por Karol Albuquerque
05/01/22 16h39, atualizada em 05/01/22 16h52
Yuan digital

Imagem: NESPIX/Shutterstock

Depois de ter dominado a indústria da mineração de bitcoin e sofrido com a proibição de transações em criptomoedas, a China agora lança uma versão piloto da carteira digital oficial do governo. Batizada de e-CNY (sigla para yuan), ela integrará o já movimentado mercado conduzido pela moeda digital chinesa. Somente nas fases de teste do yuan digital, já foram conquistados mais de 140 milhões de contas ativas e uma movimentação financeira que já supera os US$ 9,7 bilhões. 

Aplicativo oficial já disponível 

Com o lançamento oficial da carteira digital chinesa, os cidadãos já podem baixar o aplicativo em seus smartphones por meio dos sistemas iOS (Apple) ou Android (Google). 

A e-CNY é uma wallet que estará disponível na forma de blockchain, na mesma rede do yuan digital. Ao contrário das demais criptomoedas existentes ao redor do mundo, a chinesa tem controle absoluto por parte do governo. 

Leia mais:

O governo chinês vem motivando o uso do yuan digital e pretende substituir integralmente o dinheiro em circulação em uma previsão a longo prazo. Emitida pelo Banco Central, a e-CNY possibilita a abertura de uma gestão da carteira pessoal, incluindo serviços como corretagem e circulação de e-CNY.  

Acesso controlado  

Além disso, a interface da carteira disponibiliza opções de leitura de código de barras e cógido QR, ou seja, o aplicativo do governo poderá auxiliar em inúmeras situações. 

Ainda em fase de testes, o sistema oficial só pode selecionar, por enquanto, usuário na versão beta por meio de prestadores de serviços de e-CNY autorizados, seguindo um relatório da Reuters. 

A responsabilidade organizacional do aplicativo está nas mãos do Instituto de Pesquisa de Moeda Digital do Banco Central. Trata-se de uma divisão do Banco Central chinês. 

Governo chinês quer aumentar a popularidade da moeda digital Yuan por meio do aplicativo de carteira lançado pelo Banco Central; meta é reduzir ao máximo a circulação de dinheiro Crédito: Pixabay

Apesar do acesso ainda ser restrito a algumas regiões do país, ele também está disponível na download em lojas de aplicativos da Xiaomi, Baidu e Qihoo. 

Maior mercado do mundo  

Aproveitando a expansão do yuan digital, que já ultrapassou a marca de 140 milhões de contas, a China está empenhada em aumentar a popularidade da moeda e já anunciou que a aceitará durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022. Inclusive, até loterias são realizadas com distribuição dos prêmios em yuan, como em Shenzhen e Suzhou. 

O anúncio também abriu mais um capítulo de trocas de farpa com o governo norte-americano. A delegação dos Estados Unidos que competirá nas Olimpíadas já foi alertada para não comprar nada em moeda digital na China. 

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags