O grande desastre natural que assola a África do Sul causou por volta de 450 mortes, deixou dezenas de milhares de pessoas desabrigadas e também afetou o trabalho e os trabalhadores da fábrica da Toyota, na província de KwaZulu-Natal. A subsidiária local da montadora japonesa precisou suspender a produção depois que as inundações danificaram a instalação na semana passada.

Modelos Hilux, Corolla Cross e outros são produzidos pela fábrica de Prospecton, que emprega atualmente mais de 7 mil pessoas. Com o desastre provocado por intensas chuvas e enchentes, uma infinidade de veículos foram destruídos. Um vídeo do canal Virgo, no YouTube, mostra detalhes do ocorrido:

publicidade

Preocupações da Toyota

Nas cenas, há uma quantidade enorme de veículos novinhos debaixo da água no pátio externo, a maioria sem ser possível enxergar as rodas. Não só isso. Mais adiante, aparecem imagens da área interna da instalação, também afetada de forma grave pela inundação.

Especialistas do setor temem que as chuvas sem precedentes possam aprofundar a escassez de oferta provocada pela pandemia, a subsequente crise de chips e, mais recentemente, a invasão da Ucrânia. O CEO da Motor Industry Staff Association do país, Martle Keyter, disse que isso não poderia ter acontecido em pior hora.

A fábrica de Prospecton atingida pelo desastre é uma das várias fábricas em todo o mundo onde o popular crossover Corolla da Toyota é produzido. No entanto, a ocorrência será um duro golpe para a empresa japonesa (que tem um bom mercado na África do Sul).

Para termos uma ideia, dos mais de 15 mil veículos comercializados em março no país africano, por volta de 10 mil deles eram comerciais construídos na planta de Prospecton. O volume equivale a 70% das vendas da marca na África do Sul.

Leia também:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!