Produtos e Reviews

iPhone SE (2022): músculo e cérebro de sobra em corpo de ontem | Review

Por André Fogaça, editado por André Lucena
12/05/22 18h35, atualizada em 12/05/22 19h08
iPohne SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)
Nota
9.0

iPohne SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

Prós
  • Desempenho de ponta
  • Carregamento sem fios
  • Corpo resistente
  • Política de atualizações do iOS é ótima
Contras
  • Visual muito datado
  • Cadê o modo noturno?
  • Autonomia poderia ser maior

A Apple é bem conhecida pelos celulares caros e por entregar aparelhos focados quase exclusivamente no mercado topo de linha. Sim, ela realmente faz isso, mas a marca americana criou uma divisão dentro dos iPhones para ter um celular menos caro, com muito dos irmãos maiores e em um visual que ela chama de nostálgico e amado, mas que em 2022 pesa bastante.

Esse é o iPhone SE de 2022, o terceiro modelo dessa linha e ele é, por fora, basicamente idêntico ao da geração passada, que já utilizava a carcaça do iPhone 8 de 2017. Enfim, por dentro ela coloca o melhor do desempenho para esse ano e consegue até mesmo lidar com fotos em uma só câmera, de uma forma que o celular de cinco anos atrás jamais conseguiria.

Leia também

Bom, eu sou André Fogaça e vem comigo que eu te conto, nos próximos parágrafos, se o iPhone SE de 2022 realmente é um bom aparelho para seu preço. Principalmente se vale a pena comprar ele, ou um iPhone 13 Mini, que também é pequeno.

Review do iPhone SE (2022) em vídeo

Design e tela

Por fora o iPhone SE de 2022 é praticamente idêntico ao da geração passada, que já usava o corpo do iPhone 8. Isso significa cantos arredondados, vidro na traseira e na frente, mas por aqui uma pequena mudança já é encontrada: a Apple diz que o vidro do modelo desse ano é o mesmo do iPhone 13.

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

A ideia é dar mais resistência e eu notei isso, já que passei as semanas de teste usando somente esse iPhone, sem capinha e com o aparelho sempre entrando e saindo do bolso. As vezes em uma mochila com outras coisas. Sempre saiu intacto.

Na frente a tela tem 4,7 polegadas e nem é o tamanho que me incomoda, mas sim a borda enorme nas partes inferior e superior. Por baixo o botão home tem seu espaço, mas por cima é um puro nada. Em 2022, até mesmo smartphones Android de entrada já deixaram bordas grossas de lado, o que deixa o visual do iPhone SE muito datado, preso ao passado de 2017.

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

Por outro lado, em um tempo de pandemia que ainda não acabou, ter um leitor de impressões digitais no iPhone foi um alívio. O iOS 15 tenta resolver o problema do Face ID em um mundo com pessoas de máscara, mas a impressão digital sempre está mais acessível e identifica mais rápido.

Agora, a tela tem painel LCD e com ele você tem uma experiência até bacana, mas o brilho é fraco em locais muito ensolarados e os ângulos de visão não são tão bons como em qualquer OLED. As cores são bem representadas, mas ter apenas 60 Hz de atualização faz um trabalho negativo até para a Apple.

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

Só de ter taxa de atualização mais elevada, como 90 Hz, já faz o celular parecer mais rápido aos olhos do usuário. Esse é um ponto negativo para o iPhone SE de 2022 por conta da concorrência, onde na faixa de preço dele praticamente todos os modelos utilizam frame rate mais elevado.

Fechando a parte externa, o iPhone SE de 2022 tem proteção contra água e poeira, com certificação IP67. A Apple promete um metro de profundidade por meia hora, sem o celular morrendo no processo.

Hardware e software

Se no visual o iPhone SE de 2022 está lá em 2017, dentro, no hardware, a situação é completamente diferente. A Apple colocou nesse celular exatamente o mesmo processador de toda linha iPhone 13. Isso significa um chip Apple A15 Bionic de cinco nanômetros, com seis núcleos e que tira proveito de 4 GB de RAM.

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

Olha, sinceramente, não existiu aplicativo ou jogo na App Store que pudesse fazer o iPhone SE de 2022 rodar menos veloz. Ele abriu tudo de forma instantânea, da mesma forma como fazem os iPhones 13.

Redes sociais, câmera, edição de vídeo no iMovie….tudo vai muito bem. Até jogos, seja com títulos pesados como Genshin Impact, ou outros mais leves como Mario Run. Como a resolução de tela é menor nesse celular, eu tenho certeza absoluta que ele vai segurar o desempenho ótimo por mais tempo que o iPhone 13, por exemplo.

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

O iPhone SE de 2022 já vem com o iOS 15 de fábrica e com ele chegam todos os recursos presentes nos outros modelos. Isso significa uma forma mais controlada para lidar com notificações, capacidade de ler textos em fotos ou na câmera mesmo, novos Memoji, melhorias pro Safari…enfim, está tudo aqui.

E como a gente está falando da Apple, imagine que o iOS seguirá atualizado no iPhone SE de 2022 por anos, eu chutaria seis. Digo isso por ver o primeiro modelo deste aparelho, lá de 2016, recebendo o sistema operacional mais atual até hoje, seis anos depois do lançamento.

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

A empresa tanto sabe desse detalhe, que ela me disse que o iPhone SE tem um público que fica mais tempo com o celular.

Câmeras

Bom, o iPhone SE de 2022 tem visual no passado, hardware de ponta, mas nas câmeras, ou melhor, na câmera, ele volta para o passado…em partes. Por aqui o smartphone tem apenas uma lente de 12 megapixels e que pode parecer cópia do que tinha no iPhone 8…e é quase isso.

Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)
Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)

O sensor e a lente são basicamente as mesmas, mas a Apple utiliza o processador de imagem e os avanços do A15 Bionic para dar fôlego extra por aqui. Isso significa o Smart HDR 4 e outras partes de fotografia computacional para compensar os resultados que poderiam ser ruins. É mais ou menos como o Pixel faz ao ter uma câmera simples, mas com recursos em software compensando isso.

Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)
Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)

No geral, imagine as fotos que você faz com a câmera principal de qualquer iPhone 13, elas podem ser feitas no iPhone SE de 2022 da mesma forma e com o mesmo resultado. O contraste é muito bem equilibrado, cores são vivas quando precisam ser, perfis de cores no app de câmera estão presentes para quando você quiser mudar a temperatura de cor, indo até para o modo retrato feito de forma satisfatória, mesmo com uma só lente.

Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)
Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)

Mas, mesmo tendo quase todos os recursos dos iPhone 13, você perde três coisas importantes no iPhone SE de 2022. A primeira é a versatilidade de mais câmeras, como lente ultrawide ou teleobjetiva. A segunda é o modo noturno, esquecido aqui e ele faz uma falta bastante grande, com o terceiro no modo de vídeo que vai apenas em 4K com 30 quadros por segundo, sem modo cinema ou Dolby Vision.

Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)
Foto com a câmera principal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)

Voltando para as fotos em momentos escuros, saiba que elas não ficam ruins, longe disso, mas perdem para praticamente muitos celulares intermediários. Luzes podem ficar estouradas, granulado é mais visível e locais noturnos não ficarão tão detalhados como faz, sei lá, um Galaxy A53 da vida.

Foto com a câmera frontal do iPhone SE (2022) (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)

As selfies usam uma câmera de apenas 7 megapixels. Mesmo assim, mesmo com menos detalhes capturados pelo sensor, a fotografia computacional entra em jogo mais uma vez e melhora o resultado. Mas saiba que qualquer celular Android intermediário vai fazer selfies melhores.

Bateria

A Apple nunca foi conhecida como a melhor empresa para quem busca um celular com longa autonomia. O melhor resultado está lá nos iPhones Pro e Max, mas os modelos menores sofrem com pouca energia.

O iPhone SE de 2022 melhorou a situação que existia no modelo anterior, mas ainda entrega muito menos carga do que deveria. A bateria comporta 2.018 mAh e ela segura um dia inteiro de uso normal, mas nada do segundo. Se você passar um dia fazendo fotos, como eu saí por São Paulo para fazer as fotos desse review, saiba que em uma tarde deste cenário o celular volta para casacom 40 ou 30% de carga.

No carregador o iPhone SE de 2022 não tem suporte para carregamento rápido, mas preenche a bateria em mais ou menos uma hora e meia. Isso eu consegui com um adaptador de 20 watts da própria Apple, pois o smartphone não entrega o acessório na embalagem.

Ao menos o iPhone SE de 2022 tem suporte para carregador por indução, mas não o MagSafe da Apple, tá? Ah, outra coisa que ele não tem é suporte para encontrar as AirTags de forma precisa.

iPhone SE (2022): vale a pena?

iPhone SE (2022) (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

Eu acho que sim, mas apenas e somente apenas para quem quer um iPhone potente e do ano, mas o mais barato possível. É preciso lembrar que o modelo base vem com apenas 64 GB e isso é muito pouco, então o ideal é comprar a versão com 128 GB e usar bastante a nuvem.

Eu acho chato o visual antigo de iPhone 8 por aqui, mas não vejo como um ponto extremamente negativo. O que me pesa é a tela com bordas tão grandes, a câmera traseira sem modo noturno, câmera frontal com menos de 10 megapixels e o display em LCD com pouco brilho.

Você tem que ter tudo isso em mente pra escolher o iPhone SE de 2022, que pode ser um ótimo smartphone para muita gente. Especialmente bom se considerar que ele deve seguir recebendo atualizações de segurança e novos recursos por seis anos, algo que nem a Samsung consegue fazer…e olha que no mundo Android, ela é a melhor marca em política de atualizações.

Se alguma promoção fizer o iPhone 13 Mini de base chegar perto do iPhone SE de 2022 com 128 GB, compre o modelo Mini na hora. Ele tem tela melhor, bordas menores, faz fotos e vídeos superiores, tem acabamento mais resistente e menos “do passado”. Ele também deve seguir recebendo atualizações por muitos anos.

Olhando paro lado do Android, por R$ 4,7 mil do iPhone SE de 2022 com 128 GB, que é o mínimo para a atualidade, você consegue até um Galaxy S21 FE e volta com R$ 2 mil sobrando no bolso, ao menos agora na publicação deste review.

Nossa avaliação
Nota Final
9.0
  • Desempenho
    10.0
  • Design
    7.0
  • Câmeras
    9.0
  • Bateria
    9.0
  • Sistema/Interface
    10.0
  • Tela
    8.0
  • Conectividade
    10.0
  • Resistência
    9.0

iPhone SE (2022): ficha técnica

Tela:REtina IPS LCD de 4,7 polegadas
1.334 x 750 pixels
60Hz
Processador:Apple A15 Bionic (5 nm)
Hexa-core
GPU:Apple GPU (4 núcleos)
RAM:4 GB
Armazenamento:64 GB
128 GB
256 GB
Câmera traseira:12 MP (f/1,8)
Vídeo:4K até 30 fps
Câmera frontal:7 MP (f/2,2)
Sistema Operacional:iOS 15
Conexões:Wi-Fi 6 (2,4 GHz e 5 GHz)
NFC (para Apple Pay)
Bluetooth 5.0 (A2DP e LE)
USB-C
GPS (A-GPS, GLONASS, GALILEO, BDS, QZSS)
Bateria:2.018 mAh
Carregamento de 120 watts (na embalagem)
Outros:Leitor de impressões digitais
Dimensões:138,4 x 67,3 x 7,3 mm
Peso:144 gramas
Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags