Parceira de BMW e Ford, a desenvolvedora americana Solid Power anunciou na segunda-feira (6) a conclusão de sua linha de produção piloto para baterias de estado sólido. Primeiramente, serão feitos testes internos antes da entrega das primeiras células às montadoras. A empresa planeja concluir os testes no fim deste ano.

“A instalação da linha piloto de células nos permitirá produzir unidades em escala adequada para iniciar o processo formal de qualificação automotiva”, disse à agência de notícias Reuters o CEO Doug Campbell.

publicidade

Segundo a Solid Power, a linha piloto consegue fabricar até 300 células por semana, o que equivale a cerca de 15 mil por ano. Boa parte delas irá para o setor automotivo. “Com a linha instalada, nosso próximo desafio é iniciar a produção em escala e construir células que atendam aos requisitos necessários para entrarmos na qualificação automotiva ainda este ano”, afirmou Derek Johnson, diretor de operações da empresa.

No entanto, a Solid Power não pretende se tornar uma produtora de células em massa. Em vez disso, a empresa americana busca um parceiro para viabilizar a produção em massa de baterias em estado sólido. De acordo com Campbell, um dos nomes na mesa é a companhia sul-coreana SK Innovation — que inclusive já possui uma parceria com a Ford. “Estamos em um espaço de muitos players proeminentes e confiáveis”, afirmou o executivo.

Leia mais:

Baterias de estado sólido podem diminuir custo dos elétricos

As grandes vantagens da bateria em estado sólido em relação à de íon de lítio, hoje padrões no mercado automotivo, são o melhor desempenho, a maior vida útil e a maior densidade (a quantidade de energia armazenada por unidade de peso dentro da bateria). Isso tornaria o design de elétricos mais flexível: hoje, para ter alcance capaz de andar na estrada, eles precisam de basicamente todo o chassis tomado por baterias. Isso favorece o formato SUV, mas não compactos ou esportivos baixos.

São baterias também que custam menos para produzir, o que implicaria diretamente no custo do carro elétrico médio para o consumidor. Atualmente, nos EUA, o modelo a bateria mais barato é o Chevrolet Bolt, que custa em torno de US$ 5,3 mil — e somente porque a GM conferiu um grande desconto para o carro.

Elas também não tem risco de incêndio. Baterias líquidas, como as autuais, possuem material facilmente combustível, o que leva a desastres – e o receio justificado dos motoristas. E ainda é possível às baterias de estado sólido atingir, estima-se, 80% de recarga total em apenas 15 minutos.

Se soa bom demais para ser verdade, é por isso mesmo que a BMW e a Ford tenham investido em torno de US$ 130 milhões (cerca de R$ 630 milhões) na Solid Power: para tornar verdade.

Crédito da imagem principal: Mullen/Divulgação

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!