A tecnologia 5G finalmente chegou ao Brasil nesta quarta-feira (6), e o Olhar Digital conversou com exclusividade com o Superintendente e Secretário Executivo do Gaispi na Anatel, Vinícius Caram, que indicou o que de fato muda com a chegada da tecnologia ao país. O 5G chega primeiro a Brasília, e utilizará a faixa de 3,5 GHz.

Uma dúvida e preocupação constante de muitos brasileiros é o que de fato muda quando o assunto é a chegada do 5G, e inclusive se a troca de aparelhos celulares será necessária. Mas Caram prontamente tranquilizou quanto a esta questão.

publicidade

Veja mais!

“As tecnologias legadas, 2G, 3G e 4G, permanecem como estão e ainda assim, em fase de aprimoramento,” disse ele. “Mas caso o consumidor tenha interesse em buscar um novo terminal, ter uma tecnologia e ter benefícios, por favor, avaliem esses interesses,” sugeriu Caram. Então, a mudança de dispositivo é uma opção dos consumidores que queiram utilizar o 5G. Mas antes, Vinícius Caram aconselha o consumidor a verificar antes de efetuar uma compra.

“Na página da Anatel tem hoje todos os terminais compatíveis com esta nova faixa de tecnologia 5G. Hoje são 67 dispositivos que estão no mercado,” continuou ele. “Antes de você adquirir um novo celular, olhe lá na página da Anatel se aquele terminal, aquele dispositivo, é apto para receber a tecnologia 5G na faixa 3,5 GHz que está sendo disponibilizada. É simples a consulta e fácil de você verificar”.

Leia também!

Quanto à oferta do 5G no Brasil, Caram disse depender bastante das operadoras. “[Temos] uma expectativa de ver como vão ser as ofertas das operadoras em relação a novos planos”, disse ele, explicando que é possível que as empresas adicionem o 5G aos planos e pacotes já existentes. No entanto, também é possível que ele chegue em contratos adicionais. Entre os benefícios do 5G, Caram citou a maior velocidade, possibilidade de ver vídeos em 4K e jogar online com tempo de latência menor.

Além do aspecto mais óbvio de melhora nos serviços com a chegada da nova tecnologia, Vinícius Caram destacou outros aspectos da sociedade que serão beneficiados pela chegada do 5G. “O 5G não atende apenas ao usuário no seu uso comum, mas também toda a cadeia produtiva, diversas áreas da economia como agronegócio, indústria 4.0, parte de segurança, de automação, de logística. Toda uma cadeia que é beneficiada com essa transformação digital que agora se inicia para valer, começando pelas capitais brasileiras.”

5g brasil
Imagem: Shutterstock

A expectativa é que até o final de agosto, todas as capitais do país estejam com a faixa de 3,5 GHz limpa para que as prestadoras possam ativar as estações 5G nesta faixa. Caram também destacou que o 5G deve chegar em 2023 nas cidades acima de 500 mil habitantes, e que existe um projeto para buscar atender cidades menores.

Ainda não se sabem as datas exatas após a chegada do 5G em Brasília nesta quarta-feira (6 de julho), mas as próximas capitais beneficiadas serão São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG), no Sudeste, Porto Alegre (RS), no Sul, e João Pessoa (PB), no Nordeste.

O prazo para que a rede 5G funcione em todas as principais cidades dos estados brasileiros vai até o dia 29 de setembro.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!