Conforme revelado pelo Olhar Digital no calendário astronômico de julho, o mês conta com uma série de lançamentos de foguetes. A SpaceX, obviamente, não poderia ficar de fora. Das seis missões anunciadas pela empresa, cinco têm o objetivo de colocar em órbita satélites do serviço de internet banda larga Starlink, e uma foi destinada a levar suprimentos à Estação Espacial Internacional (ISS).

Abrindo os trabalhos, um foguete Falcon 9 decolou no dia 7 da plataforma de lançamento 40 (LC-40) da Estação da Força Espacial dos EUA, em Cabo Canaveral, na Flórida, às 10h da manhã (todos os horários informados no texto são com base no fuso de Brasília), carregando um lote de 53 satélites para a órbita baixa da Terra.

publicidade

Aquela foi a 13ª missão do modelo B1058, que se tornou o segundo booster a atingir esse número recorde de lançamentos da SpaceX, cerca de 20 dias depois do primeiro veículo da empresa a alcançar a marca.

No último domingo (17), mais um Falcon 9 conseguiu o mesmo feito, ao decolar às 11h20 da manhã da mesma plataforma do recordista anterior e também a serviço da Starlink, transportando mais um lote de 53 satélites da provedora de internet banda larga.

De acordo com o site Space.com, tudo indica que esse propulsor provavelmente voará mais uma vez. Pouco menos de nove minutos após a decolagem, ele pousou verticalmente no navio-drone Just Read the Instructions, que estava estrategicamente posicionado no Oceano Atlântico ao largo da costa da Flórida.

Leia mais:

As carenagens que protegiam os satélites foram utilizadas pela terceira vez nesse voo, que marcou a 50ª missão SpaceX a utilizar as carenagens de refluxo, de acordo com o informado durante a transmissão online feita pela companhia. 

Outro fato importante sobre o voo de domingo é que ele marca a 31ª missão de 2022 a utilizar um Falcon 9, número que empata com a contagem de lançamentos desse tipo de foguete em 2021.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!