O Ministério da Saúde de Cuba confirmou a primeira morte por varíola dos macacos no país. A vítima, segundo informações divulgadas pela AFP e G1, era um turista italiano de 50 anos que estava na ilha há menos de uma semana. 

“Este paciente evoluiu rapidamente para gravidade e se encontrava em estado crítico instável desde 18 de agosto. Ele faleceu na tarde do dia 21[domingo]”, afirmou o ministério em um comunicado. 

publicidade
varíola dos macacos
Teste varíola dos macacos. Imagem: shutterstock/angellodeco

O paciente desembarcou em Cuba em 15 de agosto, teve “sintomas gerais” de desconforto (que incluíam lesões na pele) e foi hospitalizado três dias depois em caráter de urgência devido a uma parada cardíaca, da qual se recuperou. Após exames para buscar possíveis causas que poderiam ter agravado o quadro, autoridades de saúde descartaram outras patologias de origem infecciosa que pudessem ter colaborado para a piora. 

“O relatório da necropsia realizada no Instituto Médico Legal determinou como causa da morte uma sepse por broncopneumonia a um germe não especificado e falência múltipla dos órgãos”, completou a nota. 

publicidade

O governo cubano informou ainda que as pessoas que tiveram contato com a vítima estão assintomáticas até o momento e seguem isoladas. 

Leia mais! 

publicidade

OMS já declarou emergência de saúde pública 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou, em julho, a varíola dos macacos como uma emergência de saúde pública de interesse internacional. Tanto a Europa quanto o Brasil já registraram mortes relacionadas à doença. Até 22 de julho, segundo relatório do órgão mundial de saúde, apenas cinco mortes tinham sido relatadas, e todas na região africana – onde o vírus é endêmico. 

publicidade

Até o momento, em todo o mundo foram registrados mais de 41,5 mil casos da doença. No Brasil, conforme a última atualização do Ministério da Saúde, de 21 de agosto, há 3.788 casos confirmados. 

Apesar da fase de campanha eleitoral, a qual fica proibida por Lei a publicação de peças institucionais que causem a promoção do governo ou que desequilibre a disputa eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral autorizou a campanha de prevenção à varíola dos macacos no Brasil por entender que a divulgação é de “interesse público”. 

A campanha foi lançada na segunda-feira (22) pelo Ministério da Saúde e visa conscientizar a população sobre a transmissão, contágio, sintomas e prevenção, além de dar orientações sobre o que fazer em casos suspeitos. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!