Um novo estudo publicado na revista eClinicalMedicine sugere que, além de poder causar problemas no coração, entre outras enfermidades, a varíola dos macacos também pode provocar graves danos neurológicos.

Existem relatos históricos de complicações neurológicas em pessoas infectadas com o vírus da varíola e em pessoas vacinadas contra a varíola, que contém o vírus vaccinia. A partir disso, James Brunton Badenoch, doutor pela Queen Mary University of London, de Londres, Inglaterra e seus colegas passaram a investigar se a varíola dos macacos causa problemas semelhantes.

Leia mais:

Metodologia

A equipe de pesquisa analisou todas as evidências de problemas neurológicos ou psiquiátricos em pessoas infectada com a varíola dos macacos anteriores ao atual surto da doença. A maioria dos dados vieram do oeste da África e em pessoas hospitalizadas com uma infecção.

publicidade

Eles descobriram que uma pequena, mas notável porcentagem de pessoas infectadas (entre 2% e 3%) ficou muito doente e desenvolveu sérios problemas neurológicos, incluindo convulsões e encefalite – inflamação cerebral que pode causar incapacidade a longo prazo. “É importante dizer, contudo, que estes dados são baseados em estudos com poucas pessoas”, enfatizou Badenoch.

Além dos severos e raros problemas cerebrais, a equipe de Badenoch encontrou evidências, em um grupo maior de pacientes, de que estes tiveram sintomas neurológicos comuns, como dores de cabeça, dores musculares e fadiga.

“Ao analisar os estudos, não ficou claro quão graves eram esses sintomas e quanto tempo duraram. Também não estava claro quantas pessoas com varíola dos macacos tinham problemas psiquiátricos – como ansiedade e depressão -, já que poucos estudos analisaram isso”, prosseguiu o pesquisador. “Dos que pesquisaram, a tristeza foi o tipo de humor mais relatado.”

Varíola dos Macacos
Estudo ainda não consegue ligar danos neurológicos à varíola dos macacos (Imagem: diy13/Shutterstock)

Causas ainda são desconhecidas

Contudo, como os dados e estudos ainda são escassos, os cientistas ainda não têm uma resposta clara sobre o que causa o desencadeamento dos problemas neurológicos em infectados com a varíola dos macacos. “Gostaríamos de saber se a cepa do vírus e a gravidade da infecção afetam esses problemas. No entanto, não conseguimos analisar isso adequadamente porque não foi relatado de forma consistente nos estudos”, declarou James.

Brunton disse ainda que seus estudos não podem cravar que o vírus da varíola dos macacos tem a ver com os danos cerebrais e neurológicos. “Pesquisas futuras explorando isso precisarão acompanhar pessoas sem condições neuropsiquiátricas antes de serem infectadas com varíola dos macacos”, completou.

Mas, caso seja mesmo o vírus da varíola dos macacos o responsável, o pesquisador sugere que o vírus poderia entrar no sistema nervoso, ou, ainda, que poderia ser uma reação do sistema imunológico ao aparecimento do vírus.

“Também é possível que o estigma que as pessoas experimentam com a infecção por varíola dos macacos e o efeito de erupções cutâneas desfigurantes possam contribuir para o sofrimento psicológico, como o mau humor”, apontou Badenoch.

Varíola do macaco
Pesquisadores sugerem demais sintomas da doença possam desencadear sofrimento psicológico no infectado (Imagem: Halfpoint/Shutterstock)

Outros estudos sustentam a teoria

Após a publicação do aartigo, diversas pesquisas importantes surgiram. Por exemplo, um estudo divulgado pelo New England Journal of Medicine incluiu mais de 500 pessoas com varíola de 16 países no surto atual.

Embora nenhum caso de encefalite ou convulsão tenha sido relatado, dor de cabeça e fadiga foram encontradas em mais de um quarto das pessoas infectadas com varíola dos macacos, além de mau humor em até uma em cada dez pessoas.

No entanto, houve dois casos relatados recentemente de encefalite confirmada por varíola dos macacos na Espanha.

“Embora a varíola dos macacos cause principalmente sintomas semelhantes aos da gripe e problemas de pele, nosso último estudo – e estudos subsequentes – mostram que os sintomas neuropsiquiátricos não são incomuns. Não esperamos uma maré de problemas cerebrais graves, mas complicações como encefalite e convulsão podem ocorrer em uma pequena proporção de pessoas. Precisamos de mais pesquisas para descobrir se esses sintomas persistem ao longo do tempo e se são causados pela doença”, atestou o cientista.

Com informações do The Conversation

Imagem destacada: Dotted Yeti/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!