Uma série de experimentos científicos, além de novos painéis solares para a Estação Espacial Internacional (ISS), serão lançados rumo ao laboratório orbital no fim da tarde desta terça-feira (22), a bordo de uma cápsula de carga SpaceX Dragon. 

Um foguete Falcon 9 pronto para ser lançado da plataforma LC39-A, do Centro Espacial Kennedy, da NASA, na Flórida. Imagem: SpaceX

De acordo com o site Space.com, a 26ª sexta missão comercial de reabastecimento da ISS gerenciada pela SpaceX sob contrato com a NASA (CRS-26) vai decolar no topo de um foguete Falcon 9 às 17h54, do Centro Espacial Kennedy, na Flórida. E você poderá acompanhar o lançamento em tempo real pela NASA TV, a partir das 17h30. (Todos os horários mencionados têm como referência o fuso de Brasília).

publicidade

Se tudo correr de acordo com o planejado, a ancoragem no laboratório orbital será na quarta-feira (23), às 7h57, com transmissão ao vivo a partir das 6h30.

Ceia de Ação de Graças no espaço

Como na quinta-feira (24) é o Dia de Ação de Graças, um dos feriados mais importantes dos EUA, uma apetitosa variedade de alimentos especiais também será enviada pela missão de reabastecimento, incluindo sorvete, feijão verde picante, recheios, milho doce e outros quitutes tradicionais.

publicidade

Por falar em comida, uma das cargas envolve o experimento Veggie Vegetable Production System (Veggie), que consiste em esforços para abordar a necessidade de um sistema contínuo de produção de alimentos frescos no espaço. Desta vez, será lançada a quinta etapa da pesquisa, com o envio de tomates-cereja-anões Red Robin.

O experimento Veggie lançado mais recentemente à Estação Espacial Internacional, Veg-04, que cultiva mostarda Mizuna no espaço. Imagem: NASA

“Os pesquisadores aprenderam muito com o amadurecimento bem-sucedido de pimentas no ano passado”, disse Gioia Massa, cientista de produção de culturas espaciais da NASA e principal investigadora do projeto Veg-05, em uma coletiva de imprensa concedida no início do mês.

publicidade

“Até o momento, esse é o experimento de crescimento de plantas mais longo que tivemos na estação espacial”, disse ela sobre as pimentas. “Foram 135 dias, e os astronautas polinizaram o fruto. Recebemos uma enorme quantidade de dados. Aprendemos maneiras melhores de fertilizar como parte disso”.

Segundo a cientista, os tomates serão uma nova aventura para a equipe Veggie, que vai tentar descobrir como manter essas plantas sedentas bem regadas, sem regar demais. “Os astronautas comerão os tomates em órbita para prová-los”, disse Gioia, complementando que os pesquisadores já estão discutindo como melhorar a física da rega para ambientes de baixa gravidade na Lua ou em Marte.

publicidade

Um microscópio para analisar as mudanças no sistema imunológico da tripulação, uma tecnologia de resina líquida para criar estruturas maiores, um hardware para capturar imagens dos olhos dos astronautas e um sistema para criar nutrientes a partir de alimentos espaciais fáceis de transportar, como iogurte, são outros exemplos da ciência transportada pela missão CRS-26.

Leia mais:

SpaceX leva novos painéis solares para a estação espacial

Além de todos esses equipamentos científicos, a cápsula de carga Dragon está levando novos painéis solares até a estação espacial para continuar atualizando a energia no complexo em órbita. 

As matrizes de base da ISS foram instaladas durante a primeira grande fase de construção da estação, no início dos anos 2000. Com o tempo, essas estruturas se deterioram naturalmente, produzindo menos energia. Todas as matrizes na ISS estão trabalhando além de sua vida útil estimada de 15 anos.

Chamados iROSAs (sigla em inglês para algo do tipo “matrizes solares de rolo da ISS”), esses painéis são projetados para serem implantados sobre os primários, de modo a sobrepor parcialmente as estruturas maiores e originais. Há seis instalações iROSA planejadas, sendo que os astronautas já instalaram dois e montaram hardware para mais três – essas que embarcam na missão CRS-26.

Com capacidade de gerar até 20 quilowatts de energia, as novas matrizes, trabalhando junto com as partes ainda expostas das matrizes mais antigas, vão aumentar o fornecimento de eletricidade da estação espacial em 20% a 30%. Elas deverão ser instaladas durante uma caminhada espacial programada para segunda-feira (28) e outra na quinta-feira seguinte (1º).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!