Desde o colapso na FTX, a figura pública que mais caçoou da falência da empresa e de seu ex-CEO, Sam Bankman-Fried, foi Elon Musk. Foram inúmeros os memes e ataques publicados pelo dono do Twitter em sua rede social.

Entre tais mensagens, Musk publicou: “Todo mundo estava falando sobre ele como se ele estivesse andando sobre as águas e tivesse um zilhão de dólares. E essa não foi minha impressão… aquele cara é apenas – há algo errado, ele não tem capital e não vai passar. Essa foi minha previsão.”

Leia mais:

Mas entre “autoelogios” e notas sobre o “altruísmo ineficaz” de Bankman-Fried, Musk deixou de fora grande informação: que Bankman-Fried era um investidor no acordo de Musk com o Twitter e que o próprio Musk convidou pessoalmente o fundador da FTX para entrar no acordo – sua contribuição totalizou US$ 100 milhões -, como textos anteriormente não divulgados revisados ​​pelo portal Semafor revelaram.

publicidade

Em outras palavras, Bankman-Fried – que Musk tem disparado fortemente à esquerda e à direita – é, na verdade, parceiro do CEO da SpaceX no Twitter.

Segundo a Semafor, o relacionamento remonta pelo menos até março, quando o conselheiro do ex-CEO da FTX, William MacAskill, mandou mensagem a Musk para insistir que um “esforço conjunto” entre os bilionários era possível.

Cada um estava de olho em adquirir o controle do Twitter, e MacAskill prometeu a Musk que o CEO da FTX estava disposto a contribuir com US$ 3 bilhões para uma aquisição da empresa.

Mais tarde, o figurão do Morgan Stanley, Michael Grimes – banqueiro de Musk – enviou mensagem de texto a seu cliente dizendo que Bankman-Fried estava disposto a pagar mais de US$ 10 bilhões.

É importante ressaltar, porém, que essa parte da história já era conhecida. Essas mensagens, juntamente com uma série de outros textos impactantes, foram reveladas durante a batalha judicial de Musk na tentativa de anular sua oferta de compra do Twitter.

A Axios relatou na época que Bankman-Fried havia optado por não investir na plataforma depois de falar com Musk por telefone – embora Musk tivesse uma maneira diferente de enquadrar como isso aconteceu durante bate-papo no Twitter Spaces em 12 de novembro.

“Para ser honesto, nunca tinha ouvido falar dele. Então, surge um monte de gente me dizendo [que] ele tem, você sabe, grandes quantias de dinheiro que ele quer investir no negócio do Twitter. E que conversei com ele por cerca de meia hora”, disse o “Chief Twit” a seus usuários. “E sei que meu medidor de m**** estava marcando. Era como, esse cara é um m**** – essa foi minha impressão.”

Mas o que nunca foi revelado no tribunal é que Musk, de acordo com o Semafor, conversou com Bankman-Fried em 5 de maio, apenas duas semanas antes da assinatura do contrato de venda do Twitter.

O CEO da Tesla supostamente entrou em contato com o então CEO da FTX pouco antes da meia-noite, pedindo que ele contribuísse com sua participação de US$ 100 milhões.

Vale a pena mencionar que a Binance, rival da FTX, que contribuiu com US$ 500 milhões adicionais para a aquisição de Musk, é amplamente creditada por expor as vulnerabilidades financeiras da FTX, o que acabou levando ao seu fim.

Com informações de Futurism

Imagem destacada: Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!