O proprietário e CEO do Twitter, Elon Musk, diz que uma “anistia geral” para contas banidas começará na próxima semana para aqueles que “não infringiram a lei ou se envolveram em spam flagrante”.

Ele perguntou aos usuários em seu perfil se o Twitter deveria oferecer a anistia. Mais de 72% dos 3,2 milhões de votos aprovaram a proposta.

Leia mais:

Musk restabeleceu a conta de Donald Trump no fim de semana passado, após pesquisa semelhante. Trump, contudo, ainda não tuitou depois de recuperar sua conta, embora tenha continuado a postar em seu próprio aplicativo, o Truth Social.

publicidade

No final da semana passada, Musk restaurou as contas da comediante Kathy Griffin (que estava provocando Musk antes de sua conta ser suspensa), do provocador de direita Jordan Peterson e do site de sátira conservador Babylon Bee.

A última reviravolta na saga do Twitter ocorre um dia depois que a empresa demitiu outros 50 ou mais engenheiros sem aviso prévio, segundo relatos.

Eles foram dispensados logo depois que a empresa iniciou programa de revisão de código, pelo qual os engenheiros são solicitados a enviar amostras de seu trabalho semanalmente.

Dezenas de engenheiros foram demitidos por e-mail na noite anterior ao Dia de Ação de Graças porque “seu código não é satisfatório”, de acordo com Alex Heath, do The Verge.

Outros receberam um aviso sobre seu desempenho. “Observe que não atender às expectativas pode resultar na rescisão do seu contrato de trabalho… use esta oportunidade para restaurar nossa confiança e demonstrar suas contribuições para a equipe e a empresa”, dizia o e-mail de aviso.

Os engenheiros demitidos teriam recebido quatro semanas de indenização se assinassem um acordo de separação e renunciassem a qualquer reclamação contra o Twitter.

Eles permaneceram na empresa depois que Musk demitiu cerca de metade da força de trabalho. Na semana passada, ele pediu aos funcionários restantes que se comprometessem a trabalhar em sua visão para um Twitter 2.0 “extremamente hardcore”.

Os que desistiram (cerca de 1,2 mil dos 3,9 mil que ainda estavam na empresa no início da semana passada) foram dispensados ​​com a promessa de três meses de indenização.

O último lote de demissões ocorreu apenas dois dias depois de Musk ter dito aos funcionários que as demissões foram feitas e que o Twitter está contratando, com foco em “pessoas que são ótimas em escrever software”.

Um dos engenheiros que o Twitter liberou na quarta-feira (23) é Ikuhiro Ihara, que liderou o esforço para dobrar o limite de caracteres do tweet para 280 em 2017.

O Twitter também dispensou Ying Xiao, cientista sênior de pesquisa de aprendizado de máquina que um colega descreveu para Zoë, da Platfomer Schiffer, como “o melhor modelador de ML [machine learning, ou aprendizado de máquina em português]”.

Parece que alguns dos engenheiros demitidos tinham vistos de trabalho especiais e, agora, enfrentam corrida para encontrar novo emprego se quiserem permanecer nos Estados Unidos.

Schiffer também relatou que o Twitter cortou o pagamento de feriados de seus contratados restantes pouco antes de um fim de semana de feriado. Essa mudança ocorreu nem duas semanas depois que a empresa selecionou milhares de seus contratados.

Diz-se que Musk também cortou benefícios para os funcionários nesta semana, incluindo auxílio-creche, custos de internet em casa e treinamento – reduzindo efetivamente os pacotes de remuneração dos trabalhadores.

Essas medidas fazem parte do esforço intenso de Musk para cortar custos no Twitter, que deve pelo menos US$ 1 bilhão em pagamentos anuais de juros sobre os empréstimos que ele fez para ajudar a comprar a empresa.

No início desta semana, foi relatado que o Twitter estava cobrando de fornecedores e contratados, com alguns milhões de dólares devidos em pagamentos atrasados. O Twitter não tem mais um departamento de comunicação que pode ser contatado para comentários.

Com informações de Engadget

Imagem destacada: FellowNeko/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!