Em 2006, agricultores de arroz da Indonésia se depararam com uma surpresa em suas plantações. Um buraco aberto no chão durante a madrugada expelia vapor. Nas semanas seguintes, o vapor começou a vir acompanhado de água, lama fervente e gás natural. O que aconteceu lá foi um fenômeno chamado vulcão de lama e causou um grande estrago.

Vulcão de lama no Azerbaijão. Imagem: Nurlan Mammadzada – Shutterstock

Esse vulcão de lama na Indonésia foi detectado em 29 de maio de 2006 em Sidoarjo Regency, na província de Java Oriental. Quando a erupção de lama se intensificou, a população que vivia ao redor precisou ser evacuada. A lama devorou aldeias inteiras e fez com que mais de 60 mil pessoas precisassem deixar suas casas.

Como os vulcões de lama se formam

Os vulcões de lama se formam quando uma mistura de lama, fluidos e gás entram em erupção na superfície terrestre. Eles são mais comuns na Indonésia, Azerbaijão, Itália, Japão e na ilha caribenha de Trinidad. 

Essas estruturas cuspidoras de lama são bastante diversas e podem expelir os sedimentos tanto de maneira lenta e silenciosa quanto de forma extremamente violenta. O gás expelido pelos vulcões de lama, geralmente, é o metano. Por ser extremamente inflamável, geralmente explosões podem acontecer junto das erupções.

publicidade

Os vulcões de lama surgem quando fluidos e gases que estão dentro da Terra, acumulados e sob pressão, encontram uma rota de fuga através de fendas no solo. Enquanto vão subindo, eles carregam a lama encontrada no caminho até que a mistura é expelida na superfície. 

Ação humana 

Um dos fatores que podem ocasionar a erupção de um vulcão de lama é a ação humana. A pressão dos fluidos e gases subterrâneos aumenta quando o peso dos sedimentos acima deles impossibilita sua saída para a superfície. 

Esses fluidos podem estar comprimidos debaixo da terra por diferentes motivos. Eles podem ter ficado presos quando o sedimento foi depositado, migrado de lugares mais profundos ou produzidos no próprio local por meio de reações químicas, como a formação de petróleo e gás natural.

E a busca por esses produtos pode ser responsável pelo surgimento de vulcões de lama. Geralmente, quando poços vão ser cavados, é comum enchê-los com lama densa suficientes para conter os fluidos subterrâneos. Caso isso não aconteça, os fluidos podem encontrar seu caminho até a superfície através do buraco de perfuração e acaba expelindo o material. 

O estudo dos vulcões de lama

Os vulcões de lama ajudam os pesquisadores a compreender o interior da Terra. Os fluidos expelidos por essas estruturas podem envolver materiais até 10 quilômetros de profundidade. O estudo da temperatura e da química desses fluidos expelidos podem revelar informações sobre os processos e reações que ocorrem no interior da Terra, que não podem ser descobertas de outra forma.

Um exemplo, o estudo do vulcão de lama que expeliu em 2006 na Indonésia revelou que a água foi aquecida por uma câmera de magma subterrânea que está ligada ao complexo vulcânico de Arjuno-Welirang, próximo do local.

Leia mais:

Vulcão de lama da Indonésia ainda está em erupção

O vulcão de lama que entrou em erupção em 2006 na Indonésia continua expelindo material. Mais de 16 anos depois, a área coberta de lama é de 7 quilômetros quadrados, o que corresponde à área de mais de 1.300 campos de futebol. Para conter a lama expelida, o governo precisou construir diques que medem cerca de 30 metros de altura.

O motivo do rompimento do chão e de ter começado a expelir lama ainda não é bem definido. Existem duas justificativas para explicar o que aconteceu.

Uma delas é de que a erupção aconteceu por causa de um poço de gás de exploração a 200 metros do local onde aconteceu o vulcão. 

Os fluidos teriam subido parcialmente pelo o furo do poço por não ter sido colocado lama o suficiente para fazer peso sobre eles. Durante a subida pelo furo do poço, os fluidos teriam encontrado fraturas no solo que fizeram com que a erupção acontecesse a dezenas de metros de distância do local do poço.

Por sua vez, a empresa petrolífera responsável pelo poço culpa um terremoto que ocorreu dias antes do aparecimento do vulcão. Ele teria sido causado por um sistema hidrotermal no subsolo. Segundo a petrolífera, esse tipo de sistema já tem um histórico de ser afetado por terremotos muito distantes.

Além disso, a empresa defende que um teste de pressão realizado no poço logo no início da erupção do vulcão de lama indicou que o furo estava intacto, sem fraturas que facilitariam o vazamento dos fluidos.

Um processo foi aberto em 2009 para indiciar a empresa por negligência, mas ele foi encerrado por falta de provas. Entretanto, a discussão sobre a causa do surgimento do vulcão de lama ainda continua.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!