Mais um problema para o X, antigo Twitter. Pelo menos duas empresas anunciaram a suspensão temporária de investimentos em publicidade na rede social. O motivo foi a veiculação de seus anúncios em uma conta ligada ao nazismo. O caso ocorre menos de uma semana depois que a CEO da X, Linda Yaccarino, afirmou publicamente o compromisso da empresa com a segurança da marca para os anunciantes.

Leia mais

Entenda o caso

  • A organização sem fins lucrativos Media Matters for America documentou em um relatório publicado nesta quarta-feira (16) que anúncios de uma série de marcas tradicionais foram veiculados em uma conta que compartilhou conteúdo celebrando Hitler e o Partido Nazista.
  • Segundo informações da CNN, anúncios de marcas como Adobe, Gilead Sciences e Associação de Televisão da Internet e da Internet (NCTA) foram veiculados ao lado de tuítes da conta, que obteve centenas de milhares de visualizações.
  • Segundo a reportagem, porta-vozes da NCTA e da empresa farmacêutica Gilead anunciaram a interrupção imediata de investimentos em publicidade na plataforma após o caso.
  • “Levamos a colocação responsável de anúncios da NCTA muito a sério e estamos preocupados que nosso post sobre o futuro da tecnologia de banda larga tenha aparecido ao lado desse conteúdo altamente perturbador”, disse o porta-voz da NCTA, Brian Dietz.
  • Já um porta-voz da Gilead disse que a empresa pausará seus gastos com anúncios enquanto a X investiga o problema.
  • A rede social de Elon Musk não se pronunciou oficialmente, mas, segundo a CNN, a conta ligada ao nazismo foi removida do ar.

X: promessa de maior segurança para os anunciantes

  • O X tem tentado atrair anunciantes de volta à plataforma após a saída de várias marcas que criticaram a falta de controle em relação aos conteúdos postados nas redes sociais, especialmente fake news.
  • Recentemente, Elon Musk disse que a verba desse setor caiu quase 50% e conta com uma “pesada carga de dívidas”.
  • A ARK Invest, por exemplo, reduziu a participação da empresa na rede social em 47% desde a aquisição de Elon Musk (veja mais clicando aqui).
  • Em meio ao cenário, Musk deixou o cargo de CEO da empresa, sendo substituído por Linda Yaccarino, ex-chefe de publicidade da NBCUniversal da Comcast.
  • Ela afirmou, em entrevista recente, que muitos dos investimentos retornaram e que a empresa está “perto do ponto de equilíbrio”.
  • Ainda prometeu proteger as marcas de terem anúncios exibidos ao lado de conteúdos considerados prejudiciais.
  • Para isso, o X disse que havia implementado controles adicionais de segurança da marca para anunciantes, incluindo a capacidade de evitar que seus anúncios fossem exibidos ao lado de “discurso de ódio, conteúdo sexual, obscenidade, spam e drogas”.
  • Além dos revisores de moderação de conteúdo humano que monitoram o conteúdo que viola as regras da plataforma, a rede social observa ter um software automatizado que determina onde e como os anúncios são colocados na plataforma.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!