A Mixin, empresa de criptomoedas sediada em Hong Kong (China), anunciou que foi invadida e que os hackers roubaram cerca de US$ 200 milhões (R$ 993,94 milhões). O ataque ocorreu no sábado (23) na base de dados do provedor de serviços em nuvem da Mixin Network.

Como resultado, alguns ativos foram perdidos e os serviços de depósito e saque foram temporariamente suspensos. A empresa entrou em contato com o Google e a empresa de segurança cibernética SlowMist para ajudar na investigação.

publicidade

Leia mais:

Detalhes do ataque

  • Embora a Mixin se descreva como uma rede descentralizada, ainda não está claro como os hackers conseguiram roubar o dinheiro após invadir o banco de dados em nuvem;
  • A empresa anunciou que revelará “solução” para lidar com os ativos roubados em data posterior;
  • Foi confirmado que a empresa está trabalhando com a empresa de resposta a incidentes cibernéticos Mandiant.

Maior roubo de criptomoedas em 2023

Esse hack é considerado o maior roubo no mundo das criptomoedas em 2023, de acordo com a Rekt, instituição que publica lista de organizações e projetos de criptomoedas hackeados, segundo o TechCrunch. O maior roubo até então ocorreu em março, quando a plataforma de empréstimos de criptomoedas Euler perdeu cerca de US$ 197 milhões (R$ 979 milhões).

publicidade

LinkedIn hackeado? Veja como recuperar e proteger sua conta

Recentemente, a Cyberint, empresa especializada em inteligência de ameaças e gestão de risco, fez um alerta em relação a uma onda de ataques de hackers que os usuários do LinkedIn vêm sofrendo. Isso tem comprometido a conta das pessoas, fazendo com que os perfis sejam invadidos ou bloqueados depois de tentativas de acesso não-autorizados.

Leia a matéria completa aqui

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!