A Agência Federal Antidiscriminação da Alemanha afirmou que está desativando sua conta no X, antigo Twitter. A razão alegada é a crescente intolerância contra minorias expressada em postagens na rede social, sem que a empresa de Elon Musk tome medidas para combater o problema. A entidade ainda sugeriu que outros organismos sigam o exemplo e deixem a plataforma.

Leia mais

Desinformação e discursos de ódio ganharam força com guerra no Oriente Médio

A mais recente onda de críticas contra o antigo Twitter se deve à guerra entre o grupo terrorista Hamas e Israel, e após a empresa ter cortado parte da equipe que atuava para combater a desinformação na plataforma.

Uma série de postagens com alegações falsas e imagens manipuladas tomou conta da rede social. Além disso, foi verificado o aumento de posts de cunho racistas, misóginos, antissemitas e diversos outros tendo como alvo minorias.

publicidade

O próprio Elon Musk promoveu a desinformação na rede social ao recomendar que usuários seguissem um perfil para ter mais informações sobre o conflito. No entanto, a conta recomendada é conhecida por espalhar informações falsas, tendo, inclusive, divulgado um relatório inexistente sobre uma explosão no Pentágono recentemente.

Musk apagou a postagem mais tarde. “Como sempre, por favor, tente ficar o mais perto possível da verdade, mesmo para coisas que você não gosta”, disse ele.

“O X não é mais um ambiente sustentável para uma agência pública”, disse a comissária Ferda Ataman, em um comunicado. As informações são da Reuters.

X Twitter
(Imagem: shutterstock/Camilo Concha)

Governo alemão pode deixar X?

  • Apesar das críticas, funcionários do governo alemão dizem que não há um canal substituto no momento por meio do qual líderes como o chanceler do país Olaf Scholz possam alcançar uma ampla faixa do público online.
  • O X foi procurado para comentar a decisão da Agência Federal Antidiscriminação, mas não se pronunciou.
  • Na terça-feira (10), a rede social disse que tomou medidas para conter a disseminação de postagens inapropriadas nos últimos dias e removeu contas recém-criadas afiliadas ao Hamas como parte dos esforços para “impedir que conteúdo terrorista seja distribuído online”.