Os eclipses solares totais são eventos impressionantes e que atraem muita atenção quando acontecem. Ele consiste no alinhamento entre a Lua e o Sol, onde o primeiro astro bloqueia totalmente a passagem dos raios solares. No entanto, no futuro o fenômeno pode se tornar uma lenda à medida que a Lua se afasta da Terra.

Para quem tem pressa:

  • A proporção entre diâmetro e distância da Lua e Sol, permitem que o satélite cubra completamente os raios da estrela quando os dois astros se alinham;
  • No entanto, com o afastamento da Lua, isso não irá mais acontecer, e o eclipse total não poderá mais se visto;
  • Esse afastamento acontece devido a forças gravitacionais da Lua e da Terra.

O diâmetro do Sol é cerca de 400 vezes maior que o da Lua, ao mesmo tempo, a estrela está 400 vezes mais distante que o satélite. Essa coincidência faz com quando vistos da Terra, os astros tenham quase o mesmo tamanho, e quando se alinham, a Lua cobre o Sol quase que completamente. 

No entanto, com o afastamento da Lua, essa proporção não será mais a mesma, e os eclipses totais não irão mais acontecer.

publicidade

Leia mais:

Afastamento da Lua

Os cientistas descobriram o afastamento através de experiências com painéis refletores deixados na Lua pelas missões Apollo. Ao longo dos anos, um feixe de luz era enviado para os espelhos e os pesquisadores cronometravam o tempo que demorava para a luz voltar para a Terra. Quando fizeram isso, perceberam que o tempo em que o laser realizava sua jornada aumentava ligeiramente a cada ano, indicando que a Lua estava se afastando.

Isso acontece porque a rotação da Terra, e a órbita e rotação da Lua estão interligadas, assim, se um desses movimentos mudar, afeta diretamente o outro. O movimento realizado pelo nosso planeta em torno de si mesmo, a rotação, está ligeiramente desacelerando devido à força gravitacional da Lua, cerca de 1,14 milissegundo por século. Para compensar isso, a órbita do satélite está se tornando maior, fazendo com que ele se afaste.

Acredita-se que esse distanciamento entre a Terra e a Lua aconteça desde quando ela se formou, há 4,5 bilhões de anos, podendo no início ela estar a apenas 24 mil quilômetros de distância de nós. Esse afastamento é de 3,8 centímetros por ano, de acordo com a NASA e ao longo de todo esse período foi o responsável por deixar o satélite tão longe quanto ele está.

Quando essa distância aumentar mais 25 mil quilômetros, daqui a 600 milhões de anos, a Lua estará longe demais para cobrir completamente o Sol da perspectiva da Terra, para acontecer um eclipse total. Assim, se ainda existirem humanos na Terra, o fenômeno que eles poderão ver é o eclipse anular, que é quando a Lua não cobre completamente o Sol, deixando apenas um anel de fogo.

Além de extinguir os eclipses totais, o afastamento também irá fazer com os dias na Terra mudam lentamente ao longo dos anos, assim como a rotação da Lua, o que afetará a duração de suas fases.