O Walmart, o maior gigante do varejo no mundo, anunciou nesta semana o início de um mega projeto voltado para as lojas físicas da rede nos Estados Unidos.

Ao todo, o grupo vai reformar 650 unidades, além de construir outras 150. A ideia é que as reformas durem até um ano. Já o prazo para a construção será maior: de até 5 anos.

Leia mais

O grande destaque desse projeto é a instalação de carregadores rápidos para carros elétricos em todas essas lojas.

publicidade

Ao todo, as mudanças serão feitas em 47 estados americanos, além de unidades em Porto Rico.

Em comunicado, o Walmart afirmou que está “trabalhando no desenvolvimento de uma rede de costa a costa de estações de carregamento rápido de veículos elétricos”.

A empresa diz ainda esperar que a decisão torne a vida dos seus clientes mais fácil.

As informações são do Electrek.

Uma boa decisão de mercado

  • Como já informamos aqui no Olhar Digital, os Estados Unidos enfrentam dificuldades de infraestrutura quando o assunto são os carregadores de carros elétricos.
  • Em Nova York, por exemplo, a escassez desses itens faz com que motoristas enfrentem grandes filas.
  • Além disso, montadoras de caminhões já estão cobrando as autoridades pela instalação de mais aparelhos do tipo.
  • Ao instalar carregadores nas lojas, o Walmart faz uma jogada esperta de mercado: traz pra si os donos de veículos do tipo.
  • E, enquanto o carro carrega, ele pode ir até a loja e comprar alguma coisa.
  • Outro dado importante é que o Walmart tem milhares de unidades espalhadas pelo país.
  • Segundo o site Electrek, 90% da população dos EUA está localizada a 16 quilômetros de um Walmart.
  • Ou seja, a instalação desse equipamentos ajudaria a resolver o problema do país.

Aposta dobrada nas lojas físicas

A decisão de abrir novas lojas e reformar antigas ocorre numa era na qual várias empresas estão apostando apenas no digital, no comércio eletrônico.

O Walmart, porém, pensa diferente. Os executivos explicam que o seu cliente ainda prefere o atendimento físico. Argumentam que, quando se trata de fazer compras, especialmente de mantimentos, a maioria dos consumidores ainda se desloca até as lojas.

O que a rede varejista não assume é que continua a ter dificuldades com o comércio eletrônico. Esse é um terreno no qual a Amazon reina com folga por lá.

Somando esses dois fatores dá para entender o investimento nas lojas físicas.

E podemos falar tudo, menos que está dando errado. O Walmart teve vendas líquidas de US$ 420,6 bilhões no ano fiscal de 2022-2023 nos EUA. Foi uma das redes que mais lucrou no mundo no período (os números definitivos devem ser divulgados nas próximas semanas).