O CEO da OpenAI, Sam Altman, negocia, inclusive com o governo dos Emirados Árabes Unidos, a arrecadação de fundos para ampliar a capacidade global de fabricação de chips, essenciais para impulsionar principalmente a inteligência artificial (IA). É como se eles fossem anabolizantes para a tecnologia.

Para quem tem pressa:

  • O CEO da OpenAI, Sam Altman, negocia a arrecadação de fundos para expandir a capacidade global de fabricação de chips. Este esforço, que pode requerer investimento de até US$ 7 trilhões, visa superar as limitações atuais da produção de chips, cruciais para o avanço da IA;
  • A magnitude do financiamento necessário destaca os desafios enfrentados pela OpenAI, principalmente a escassez de unidades de processamento gráfico (GPUs), essenciais para treinar modelos de linguagem avançados;
  • Altman propõe uma colaboração entre a OpenAI, investidores, fabricantes de chips e fornecedores de energia para construir fundições que seriam operadas por fabricantes existentes e teriam sua empresa como um dos principais clientes;
  • O CEO discutiu seus planos com figuras influentes, incluindo o xeque Tahnoun bin Zayed al Nahyan dos Emirados Árabes e o CEO da SoftBank, Masayoshi Son, por exemplo.

Segundo o Wall Street Journal,  o projeto de Altman pode exigir investimento de US$ 5 trilhões (aproximadamente R$ 25 trilhões) a US$ 7 trilhões (R$ 35 trilhões). A quantia supera em muito o tamanho atual da indústria global de semicondutores, cujas vendas foram de US$ 527 bilhões (R$ 2,6 trilhões) em 2023.

Leia mais:

Sam Altman nas negociações

Detalhe da página inicial do ChatGPT
(Imagem: Pedro Spadoni/Olhar Digital)

Os planos para arrecadar fundos enfrentam obstáculos significativos e visam resolver as limitações no crescimento da OpenAI – entre eles, a escassez de chips de IA, que são caros mas necessários para treinar grandes modelos de linguagem. Altman frequentemente lamenta que não há chips suficientes, conhecidos como unidades de processamento gráfico (GPUs), para alimentar a busca da OpenAI pela “IA geral”.

publicidade

Esse investimento seria excepcionalmente alto pelos padrões de arrecadação de fundos corporativos. Para você ter uma ideia, superaria a dívida nacional de algumas das principais economias globais e ultrapassaria os fundos soberanos. Os planos de Altman são o exemplo mais recente de suas ambições para mudar o mundo. Outros incluem iniciativas para gerar energia barata a partir da fusão nuclear e prolongar a vida humana.

É que instalações de IA consomem enormes quantidades de energia, o que também é uma preocupação no novo plano de arrecadação de fundos de Altman. Realizar suas ambições exigirá persuadir uma rede complexa de financiadores, parceiros industriais e governos. Além disso, o CEO precisará do consentimento do governo estadunidense, para o qual a indústria de semicondutores é uma prioridade estratégica.

Como parte das discussões, Altman propõe uma parceria entre a OpenAI, investidores diversos, fabricantes de chips e fornecedores de energia. Juntos, eles investiriam na construção de fundições de chips que seriam operadas por fabricantes existentes. Neste cenário, a OpenAI se comprometeria a ser um cliente significativo das novas fábricas.

IA, OpenAI e chips

(Imagem: Varavin88/Shutterstock)

A demanda por chips e a energia necessária para operá-los aumentou devido à crescente demanda por inteligência artificial. Os chips da Nvidia, líder de mercado em computação de IA, têm estado em falta. E os chips de IA também se tornaram parte da batalha geopolítica entre os EUA e a China pela dominação tecnológica.

Altman se encontrou recentemente com vários participantes de seu esforço – entre eles, o xeque Tahnoun bin Zayed al Nahyan, dos Emirados Árabes. Também discutiu o empreendimento com o CEO da SoftBank, Masayoshi Son, e representantes de empresas de fabricação de chips, como a Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. (TSMC).

A OpenAI tem desenvolvido sua tecnologia de IA usando os recursos computacionais de seu parceiro, a Microsoft, cujo valor recentemente ultrapassou US$ 3 trilhões, parcialmente devido ao entusiasmo dos investidores em relação aos seus esforços em IA e relação com a empresa de Altman. 

A Microsoft apoia os esforços da OpenAI para expandir a capacidade de chips. E Altman compartilhou seus planos com o CEO da Microsoft, Satya Nadella, e o Diretor de Tecnologia, Kevin Scott. Neste semana, Nadella cutucou (de leve) sua concorrência no nicho da IA. “Aguardamos a concorrência nos alcançar“, disse.