O Super Bowl LVIII, jogo final da 58ª edição do campeonato de futebol americano, será realizado em Las Vegas neste domingo (11), e não vai contar com grama sintética. A decisão foi tomada mesmo diante das dificuldades de manter a grama natural no deserto de Nevada.

Após a temporada regular, o campo danificado no Allegiant Stadium foi substituído por um novo (e orgânico) gramado da Califórnia. De certa forma, esta é uma medida que está em linha com a preferência de 92% dos atletas que fazem parte do sindicato de jogadores do NFL (a NFLPA, sigla para “NFL Players Association”).

Leia também:

A escolha entre grama natural e artificial é complexa devido ao debate sobre a segurança dos jogadores. Enquanto fabricantes de grama artificial apontam para pesquisas sugerindo menor risco de lesões, a NFLPA argumenta que a grama artificial aumenta o risco de lesões.

publicidade

O incômodo é tanto, que há um movimento importante pedindo a eliminação total da grama sintética no campeonato de futebol americano. Tal debate ganhou ainda mais relevância após as condições ruins do campo no Super Bowl do ano passado em Glendale, Arizona.

Graves lesões na grama sintética

As preocupações contínuas sobre a segurança da grama artificial têm sido reforçadas por lesões graves ocorridas em jogos nesse tipo de opção. Dentre as que chamaram a atenção recentemente, estão as de Odell Beckham Jr., do Baltimore Ravens, e de Aaron Rodgers, do New York Jets.

Ainda assim, o assunto parece ser bem mais complexo e difícil de resolver. Dos 30 estádios utilizados pelos 32 times da NFL, 15 possuem grama artificial e 15 possuem grama natural híbrida (que é grama natural reforçada com fibras sintéticas).

Do que é feita

A grama sintética é baseada em uma mistura de grânulos de plástico (tendo também polietileno, polipropileno ou nylon como matéria-prima). Há ainda aditivos para proteção contra raios UV e agentes de coloração.

Na base, pode haver aplicação de fibras de poliéster, que garantem resistência e durabilidade. Assim como uma limpeza facilitada. Os defensores da grama sintética apontam para a opção ser mais adaptável e de fácil manutenção.

Ao que tudo indica, o debate ainda vai longe. Inclusive, no Brasil, também existem críticas aos campos de futebol profissional com grama sintética por causa de casos de lesão.

O Super Bowl LVII será entre o Kansas City Chiefs e o San Francisco 49ers. A partida começa às 20h30 (horário de Brasília) e será transmitida ao vivo na TV aberta pela RedeTV!, na TV fechada pela ESPN e no streaming pelo Star+ (e também no NFL Game Pass, comercializado pelo DAZN).

Via Ars Technica e Fox Sports