Pesquisadores da Universidade de Toronto (Canadá), liderados por Erkan Gün, fizeram descoberta importante sobre o planeta Terra sobre as placas tectônicas e que nos impacta diretamente.

Eles encontraram inúmeras falhas na Placa Oceânica do Pacífico e, segundo eles, tais falhas foram causadas pela deriva ao oeste e mergulho da placa na direção do manto de nosso planeta.

Leia mais:

A descoberta, contudo, ainda precisa ser validada por mais pesquisas. Mas, se essa situação for mesmo comprovada, pode mudar tudo o que a geologia entendia acerca do funcionamento das placas tectônicas terrestres.

publicidade

Placas tectônicas e seu funcionamento (até onde sabemos)

  • Para nós, não temos a impressão de que a terra abaixo de nós vive mudando, pois esse processo é lento;
  • Pode-se dizer que a crosta terrestre é formada por uma espécie de quebra-cabeças, cujas peças são as placas tectônicas, que se movimento em cima do líquido extremamente quente que forma o núcleo da Terra;
  • Elas ficam à deriva, havendo as placas oceânicas (afundadas sob as águas) e as continentais (abaixo da terra onde pisamos);
  • A percepção atual da ciência é que as placas oceânicas só mudam seu formato nas zonas de subducção (onde afundam sob outras placas), em suas fronteiras;
  • O novo estudo diz outra coisa.

Estudo

A pesquisa, publicada no Geophisical Research Letters, encontrou danos na placa do Pacífico, o que indica falha geológica. Entre esses danos, encontram-se rachaduras de milhares de metros de profundidade e centenas de quilômetros de comprimento.

Esses danos são “estranhos”, pois era comum vê-los no interior de placas continentais e longe das fronteiras tectônicas, somente.

Gün e seus pares pontuam que descobrir que as placas submersas são menos sólidas do que se pensava refina o conhecimento sobre as dinâmicas tectônicas da Terra.

Para chegar a tal resultado, os cientistas usaram de modelos computacionais complexos em conjunto com dados coletados no passado a partir do estudo de quatro platôs no oeste do oceano Pacífico. As regiões estudadas vão do Japão ao Havaí e da Nova Zelândia à Austrália.

À imprensa, os geologistas compararam a placa do pacífico com uma toalha puxada de uma mesa. Ou seja, conforme ela estica, áreas mais frágeis dela correm mais riscos de rasgos. Na analogia, esses seriam os platôs com as falhas encontradas.

Essas falhas, ainda segundo os pesquisadores, também podem estar ligadas às atividades sísmicas e de vulcões nessas regiões.