Conforme vem sendo noticiado pelo Olhar Digital, em abril, haverá um eclipse solar total – um dos eventos astronômicos mais espetaculares que existem. Na ocasião, o fenômeno poderá ser visto ao longo de uma faixa que abrange três estados do México, 15 dos EUA e quatro do Canadá, de acordo com a NASA.

Sobre o eclipse solar:

  • Um eclipse solar ocorre quando a Lua passa entre a Terra e o Sol lançando uma sombra sobre determinada área do planeta e bloqueando total ou parcialmente a luz solar;
  • Existem três tipos mais conhecidos desse fenômeno: parcial, anular e total;
  • Há ainda um quarto padrão, mais raro, que praticamente mistura todos eles: o eclipse solar híbrido (como o que aconteceu em abril do ano passado);
  • No dia 8 de abril, acontecerá um eclipse solar total, visível na América do Norte.

Na imagem abaixo, vemos o chamado caminho da totalidade, onde a sombra umbral interna da Lua se moverá pela América do Norte. O trecho tem 185 km de extensão por 13 mil km de comprimento, nascendo e morrendo em áreas oceânicas. Conforme se pode observar, a porcentagem de visualização parcial do eclipse vai reduzindo conforme as faixas se distanciam.

O caminho da totalidade do eclipse de 8 de abril de 2024, por estado. Crédito: Michael Zeiler/GreatAmericanEclipse.com

Como alguns animais responderam ao eclipse solar total de 2017 nos EUA

Em ocasiões como o evento que se aproxima, alguns animais agem de formas diferentes, conforme observado durante eclipses solares anteriores. No último eclipse total nos EUA, em agosto de 2017, os pesquisadores ficaram de olho e não perderam a oportunidade de registrar e analisar cientificamente esses comportamentos.

publicidade

Eles notaram que as abelhas, por exemplo, interromperam subitamente suas atividades habituais durante a totalidade do eclipse. Isso sugere que esses animais dependem fortemente de pistas ambientais, como a luz, para suas rotinas diárias.

A escuridão temporária provocada pelos eclipses afetam o comportamento dos animais. Crédito: BERNAMA / Ariff Sarbri / fotowarung.net

Além disso, em zoológicos, diversas espécies apresentaram comportamentos fora do comum. No Riverbanks Zoo, no estado norte-americano da Carolina do Sul, gorilas e elefantes começaram a se recolher para seus recintos noturnos, enganados pela escuridão temporária. As tartarugas de Galápagos também surpreenderam ao se amontoarem e até mesmo acasalarem brevemente antes do eclipse total.

Leia mais:

Zoológicos vão analisar os animais durante o evento do mês que vem

Os cientistas acreditam que esses comportamentos podem ser uma resposta à ansiedade causada pelo evento. Para entender melhor essas reações, diversos zoológicos planejam realizar observações durante o próximo eclipse, e a ciência cidadã também desempenhará um papel importante nessa empreitada.

Por meio do projeto Solar Eclipse Safari, o grupo SciStarter, ligado à Escola para o Futuro da Inovação na Sociedade da Universidade Estadual do Arizona, convida o público a coletar dados sobre o comportamento animal durante o eclipse – incluindo animais de estimação, embora os veterinários alertem que muitas das mudanças comportamentais nos pets possam ser influenciadas pela reação humana ao evento, e não ao eclipse em si.

Eclipses solares são fenômenos raros e fascinantes, não apenas para nós, humanos, mas também para a natureza ao nosso redor. Observar como os animais reagem a esses momentos de escuridão temporária pode nos oferecer dados valiosos sobre seus comportamentos e instintos.