Na terça-feira (12), o YouTube disse que removeu um vídeo postado pela conta oficial do presidente Donald Trump por violar suas políticas de incitação à violência.  

Além disso, em um comunicado, a empresa informa que o canal do governante está impedido de enviar novos conteúdos ou realizar transmissões ao vivo por no mínimo sete dias – período que, segundo a plataforma, pode ser prorrogado.  

publicidade

“Após uma análise cuidadosa, removemos o conteúdo carregado pelo canal de Donald J. Trump e emitimos uma nota de aviso de violação de nossas políticas de incitação à violência. Como resultado, o canal está impedido de enviar novos vídeos ou transmissões por no mínimo sete dias, que podem ser estendidos”, afirma o YouTube no comunicado.  

A empresa também suspendeu os comentários do canal, citando o risco de incitação à violência. Outros canais também tiveram seus comentários limitados no passado, mas normalmente por questões envolvendo a segurança infantil.  

Embora alguns outros vídeos do presidente tenham sido removidos da plataforma em outros momentos, nenhuma havia resultado em punições do tipo.  

Problemas além do YouTube

Além do YouTube, o presidente teve problemas com o Facebook, Instagram, Twitter e Twitch. Foto: Shealah Craighead

Além do YouTube, outras plataformas também aplicaram restrições a Donald Trump. O Twitter, por exemplo, baniu permanentemente a conta do presidente. Em uma ação semelhante, o Facebook decidiu seguir pelo mesmo caminho, tanto em sua rede principal quanto no Instagram.  

A plataforma de transmissões Twitch foi a última a tomar medidas conta Trump. Em um comunicado emitido na última quinta-feira (7), um dia após o ataque ao Capitólio, um porta-voz da empresa disse que a desativação da conta ocorreu “dadas as atuais circunstâncias extraordinárias e a retórica inflamatória do presidente, acreditamos que este é um passo necessário para proteger nossa comunidade e evitar que Twitch seja usado para incitar mais violência”. 

Ainda falando em Twitch, um pouco antes da punição da conta, um emoji foi banido da plataforma. Isso porque o modelo de inspiração para a figura, o jogador profissional de “Street Fighter” Ryan “Gootecks” Gutierrez – que é apoiador de Trump -, incentivou o uso de violência após a morte de uma mulher durante a invasão do prédio que abriga o Congresso norte-americano. 

Via: Axios