EnglishPortugueseSpanish

O WhatsApp adotou novas estratégias para tentar diminuir a migração de usuários para aplicativos concorrentes como o Signal e o Telegram. Na Índia, onde o mensageiro é utilizado por mais de 400 milhões de pessoas, a plataforma apostou nos stories e na veiculação de anúncios em jornais locais para tentar reverter esse cenário.

Anúncios do WhatsApp veiculados na capa dos jornais indianos. Imagem: Francis Mascarenhas Reuters/Reprodução

De acordo com as informações da agência de notícia Reuters, o WhatsApp optou por veicular anúncios em dez jornais diferentes somente na última quinta-feira (14). Um das frases de efeito ressalta que o WhastApp “respeita e protege a sua privacidade”.

publicidade

Stories sobre uso de dados

Na índia, o perfil oficial do WhatsApp no Instagram postou uma sequência de quatro stories destacando as vantagens do mensageiro. O primeiro reforça o “comprometimento do WhatsApp com a privacidade dos usuários”.

Anúncios do WhatsApp tentam conter migração de usuários para aplicativos concorrentes. Imagem: Android Police/Reprodução

Outra postagem declara que “o WhatsApp não pode ler ou ouvir suas conversas pessoais, já que elas são criptografadas de ponta a ponta”. Por fim, o mensageiro afirma que “não acessa a localização dos usuários” e “não compartilha informações de contatos com o Facebook”.

Ameaça do Signal e do Telegram

Telegram e Signal
WhatsApp sofre com migração de usuários para outros mensageiros. Imagem: Ascannio/Shutterstock

De acordo com os números divulgados pela Reuters, o Signal obteve um crescimento significativo na Índia, passando de apenas 15 mil downloads para mais de 7 milhões em pouco mais de uma semana. O Telegram também acompanhou essa tendência, com crescimento de 40% em território indiano. Em contrapartida, o WhatsApp perdeu 30% de sua base de usuários.

Os dois principais concorrentes do mensageiro do Facebook já figuram entre os aplicativos mais baixados do momento tanto da Google Play como da App Store. O Telegram, por exemplo, ultrapassou a marca de 500 milhões de usuários ativos na última terça-feira (12).

Vale lembrar que a mudança nos termos de privacidade do WhatsApp foi relevante para que muitos usuários procurassem um mensageiro alternativo. No Brasil, órgãos como o Idec e o Procon-SP aguardam explicações do aplicativo sobre as mudanças nos termos de uso do serviço.

Na última sexta-feira (15), o WhatsApp decidiu adiar o prazo para a vigência das novas regras para o dia 15 de maio de 2021.

Via: Reuters e Android Police